Spreads mínimos na compra de casa: realidade ou ilusão? As ofertas no mercado

Os bancos portugueses continuam na “luta” pela angariação de clientes, aproveitando a política de juros historicamente baixos do Banco Central Europeu (BCE). E nem as medidas macro prudenciais do Banco de Portugal (BDP) conseguiram pôr “travão” à torneira do crédito para a compra de casa. A maioria dos bancos não se inibe de colocar todos os trunfos em cima mesa, apostando na contínua descida dos spreads. Mas será que todos os clientes conseguem a taxa mínima?

Ao longo dos anos foram vários os bancos em Portugal que decidiram baixar a sua margem de lucro com esta taxa para competirem entre si na angariação de clientes. Os spreads mínimos praticados atualmente variam entre 1%, o valor mais baixo do mercado na atualidade, e os 1,25%. A taxa média aplicada nos contratos de crédito para a compra de casa está agora em 1,18%, uma percentagem que está 11% abaixo da média cobrada há um ano, segundo as contas do Negócios.

O spread mais baixo do mercado está a ser aplicado pelo Bankinter. O banco espanhol é o único que cobra um ‘prémio’ mínimo de 1%. Logo de seguida aparece o Banco CTT que oferece uma taxa mínima de 1,175%. O Montepio, Crédito Agrícola, Santander, EuroBic e BPI seguem-se na lista, com ofertas de 1,2%. A Caixa Geral de Depósitos (CGD) aplica uma taxa de 1,23%, e o BCP e o Novo Banco um spread mínimo de 1,25%.

Nem todos os clientes conseguem taxas mínimas

Há instituições financeiras cujas simulações resultam em spreads bem mais distantes das margens mínimas que oferecem. O Banco CTT, Montepio e Crédito Agrícola são os únicos bancos que garantem o “spread” mínimo num empréstimo de 100 mil euros a 30 anos com taxa variável, de um imóvel com um valor patrimonial entre 120 mil e 150 mil euros, para dois titulares, acordo com as simulações realizadas pelo Negócios. Nos restantes bancos (CGD, BCP, BPI, Santander, Novo Banco, Bankinter e BancoBic) a taxa fica acima do spread mínimo.

Segundo a simulação, o Banco CTT dá uma taxa de 1,1%, desde que os mutuários do crédito façam a domiciliação automática do ordenado, contratem o seguro de vida e o seguro multirriscos habitação junto do banco, explica a publicação. Caso contrário, o spread sobre para 1,7%. O Crédito Agrícola apenas dá margem mínima a clientes com mais de cinco anos, além de ser necessário domiciliar o ordenado e contratar os seguros do crédito na entidade. No Montepio será ainda pedida a contratação de um quarto produto/serviço, como a utilização de cartões.

A maioria dos clientes tem de cumprir vários requisitos para conseguir ter acesso à taxa reduzida, algo que poderá agravar os custos totais do empréstimos. De acordo com as contas do Negócios, o Banco CTT e o Montepio são quem oferece as melhores condições. Já o BPI e BCP apresentam montantes globais mais elevados.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News “Spreads mínimos na compra de casa: realidade ou ilusão? As ofertas no mercado. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/financas/credito-a-habitacao/2019/09/05/40769-spreads-minimos-na-compra-de-casa-realidade-ou-ilusao


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code