Rendas sobem 2,6% em ano de pandemia

Instituto Nacional de Estatística conclui que a taxa de variação homóloga das rendas foi 1,9% em dezembro.

A renda da casa ficou mais cara em 2020, um ano marcado pela pandemia da Covid-19, segundo a informação que consta no Índice de Preços no Consumidor (IPC), divulgado esta quarta-feira (13 de janeiro de 2021) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). “Tomando o conjunto do ano 2020, a variação média anual do valor das rendas de habitação por metro quadrado (m2) de área útil fixou-se em 2,6% (3,2% em 2019)”, lê-se no documento.

Segundo o INE, “a taxa de variação homóloga das rendas de habitação foi 1,9% em dezembro, valor inferior em 0,1% ao apurado no mês anterior”. “Todas as regiões apresentaram variações homólogas positivas das rendas de habitação, tendo a região do Norte registado o aumento mais intenso (2,1%)”, refere o documento.

O INE adianta ainda que, no último mês do ano passado, o valor médio das rendas de habitação por m2 registou uma variação mensal de 0,1%, um valor idêntico ao registado em novembro.

“A região com a variação mensal mais elevada foi registada na Região Autónoma da Madeira (0,2%), tendo as restantes regiões apresentado variações positivas com a exceção do Norte e Algarve que apresentaram uma variação mensal nula”, conclui o INE.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Rendas sobem 2,6% em ano de pandemia”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2021/01/14/45909-rendas-sobem-2-6-em-ano-de-pandemia


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code