Farto de trabalhar em casa? Três regras de ouro que podem dar uma ajuda.

O teletrabalho pode ser desafiante, sobretudo agora, passado quase um ano. Estar cansado e desgastado é normal, mas é possível superar.

Estar farto de trabalhar em casa é normal, assim como estar desmotivado e desgastado emocionalmente. A fadiga pandémica é uma realidade e agudizou-se com a difícil tarefa que é, muitas vezes, separar a vida profissional da vida pessoal – o comissário europeu para o Emprego resumiu o último ano de pandemia como aquele em que se passou de trabalhar em casa para viver no trabalho, defendendo, por isso, “o direito a desligar”. A pensar nisso, e para que possas encarar melhor o dia a dia, deixamos-te algumas dicas que podem ajudar-te a superar o cansaço.

O teletrabalho pode ser desafiante, sobretudo agora, passado quase um ano, feito de altos e baixos, e com confinamentos pelo meio. O P3 ouviu alguns especialistas que apontam algumas dicas importantes (e que podes estar a deixar escapar).

Regra número 1: tirar o pijama

Esta é uma regra mesmo importante. E é preciso voltar a relembrá-la, para que evites cair neste erro. Teresa Freitas, diretora de talentos da EY diz que é mesmo fundamental “definir horários e limites” dentro de casa, de forma a separar a vida pessoal e profissional. Devem manter-se as rotinas de higiene pessoal e muito importante: deves vestir uma roupa para trabalhar.  “É mesmo proibido passar o dia em pijama”, refere ao P3.

“Devemos continuar a acordar à hora de sempre, mudar a roupa como se fôssemos trabalhar, não estar a olhar para o telemóvel quando estamos a trabalha”, frisa também Maria Pico-Pérez, neurocientista e investigadora da Escola de Medicina da Universidade do Minho (UMinho).

Regra número 2: atenção à postura

Com o teletrabalho (e o confinamento) é natural que te mexas menos no dia a dia. A rotina de ida para o local de trabalho deixou de existir e por isso é muito importante que encontres uma forma de manter-te ativo: seja através de um pequeno passeio, seja através de exercício físico em casa.

E uma vez que passarás grande parte do dia sentado, é fundamental que tenhas material de escritório adequado: uma secretária e uma boa cadeira, para evitar problemas musculo-esqueléticos no futuro. Segundo Teresa Freitas, “a secretária deve estar virada para uma janela, onde se possa ver o exterior e com isso evitar o sentimento de estarmos fechados.”

Regra número 3: tentar ter um espaço dedicado ao trabalho

A maioria das casas não estava preparada para o teletrabalho – e em muito casos, para aulas online em simultâneo. A verdade é que com ou sem filhos, partilhar a casa (ou um espaço) na pandemia pode mesmo ser desafiante.

Ainda assim, mais uma vez, há alguns truques que podem ajudar-te a ultrapassar enfrentar estes tempos. Ter uma divisão exclusivamente dedicada ao teletrabalho é o ideal, mas sabemos que a maioria das pessoas não tem essa possibilidade. Uma solução? Dividir os espaços ou criar subdivisões dentro da mesma divisão, refere Teresa Freitas.

Outro truque poderá passar por utilizar-se “headphones” que isolam o barulho se tiveres de trabalhar num espaço partilhado com outras pessoas que vivam contigo. Trabalhar no quarto não é a melhor opção, mas se tiveres de fazê-lo, que nunca seja em cima da cama, uma vez que poderá tornar-se mais difícil desligares-te do trabalho na hora de dormir.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News. “Farto de trabalhar em casa? Três regras de ouro que podem dar uma ajuda”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2021/03/11/46567-farto-de-trabalhar-em-casa-tres-regras-de-ouro-que-podem-dar-uma-ajuda


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code