Descomplicar a linguagem do crédito à habitação: o que é o período de carência?

Muitas pessoas são “forçadas” a pedir dinheiro emprestado ao banco para comprar casa. E muitas vezes deparam-se com um contrato de crédito à habitação redigido com linguagem demasiado técnica e de difícil compreensão. É fundamental, por isso, descodificar as disposições rebuscadas que são utilizadas.

Hoje trocamos por miúdos o que é o período de carência.

Propomo-nos, com esta rubrica, descomplicar ou descodificar alguma da linguagem utilizada pelas instituições de crédito na hora de conceder um empréstimo.

Afinal, o que é o período de carência? 

Carência de capital e juros 

Carência de capital 

Já certamente ouviste falar em período de carência de um empréstimo. “Trocando por miúdos”, esta expressão significa que, durante um determinado período, só pagas os juros associados ao valor em dívida ou não pagas mesmo nada, isto é, nem amortizas o capital nem pagas juros.

1. Na carência de capital e juros não haverá pagamento de prestação durante o período de tempo acordado com o banco (exemplos 6 meses ou 1 ano). 

Neste caso, não são liquidados nem capital nem juros, mas continuam a ser contabilizados os juros e o valor em dívida não decresce. 

O valor dos juros é acumulado ao capital em dívida e após o período de carência de capital e juros o montante em dívida corresponderá ao capital em dívida no início do período de carência acrescido dos juros vencidos e não pagos. 

2. Carência de capital é o período durante o qual as prestações de um empréstimo apenas são compostas por juros, mantendo-se o capital em dívida inalterado. 

Aplica-se nomeadamente a um crédito estudante, em que o titular, em regra, só começa a reembolsar decorridos dois anos. Nesse intervalo de tempo, usufrui de carência de capital, só pagando juros, sendo assim menor o seu esforço financeiro. 

A carência poderá aplicar-se a um empréstimo para aquisição de automóvel, a um crédito pessoal ou a um crédito à habitação.

Embora limitada no tempo, a carência poderá, em certos casos, revelar-se uma solução viável: se pretenderes ganhar tempo, por exemplo, para vender a casa e liquidares o empréstimo ou quando houver risco de incumprimento, por força de uma situação de desemprego ou outra.

Contudo, para que a carência se concretize, a instituição financeira deve dar o seu acordo.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.” Descomplicar a linguagem do crédito à habitação: o que é o período de carência?“. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/financas/credito-a-habitacao/2019/06/18/39992-descomplicar-a-linguagem-do-credito-a-habitacao-o-que-e-o-periodo-de-carencia


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code