Como escolher o melhor financiamento?

Com o mercado imobiliário a retomar e os bancos a concederem novamente crédito à habitação, os portugueses estão a comprar mais casas. Se chegou a altura de adquirir o imóvel dos seus sonhos, note que, na altura de escolher a casa ideal, muitos factores irão concorrer para esta decisão.

Após a escolha da casa ideal, aquele que será considerado o verdadeiro lar, doce lar, chegam os encargos financeiros. Dificilmente alguém consegue pagar a sua casa a pronto somente com o valor acumulado das suas poupanças, de maneira que o recurso ao crédito se torna na principal opção disponível para adquirir uma habitação própria.

Mas este também não é um processo fácil: é preciso seleccionar a instituição financeira certa – que oferece as melhores condições -, ter o montante suficiente para a entrada inicial, pensar em quantos anos se terá capacidade para reembolsar o valor emprestado e deter conhecimentos suficientes para analisar as propostas dos bancos.

Comprar casa é um dos investimentos mais importantes da vida, sendo de primordial importância tomar uma decisão com total conhecimento das soluções disponíveis no mercado.

Se vai pedir um empréstimo à habitação, precisa de ter em conta que este é um encargo financeiro considerável – provavelmente o maior que terá em toda a sua vida – e, como tal, é importante ponderar se possui, de facto, capacidade financeira para um empréstimo desta envergadura.

Que condições devem ser analisadas e comparadas? Mais do que o spread, os valores das comissões (tanto as iniciais como as aplicadas ao longo do empréstimo), e as taxas de juro praticadas, é importante olhar para o montante total imputado ao consumidor, ou seja, o valor final que se irá pagar pelo empréstimo (englobando capital mais juros, comissões e seguros).

Muitas vezes existe uma certa tendência para se fazer o crédito à habitação no banco do qual somos clientes há muitos anos, o que poderá não ser a decisão certa a tomar.

Dada a grande competição das instituições financeiras hoje em dia, estas concorrem entre si para oferecerem cada vez melhores condições aos clientes, pelo que, para além da simulação no banco actual, vale a pena solicitar outras e confrontar os valores.

Se o crédito à habitação pressionar a sua taxa de esforço para além de 40%, pondere se não será preferível ir reforçando as suas poupanças, adiar alguns consumos no presente para desfrutar deste objectivo no futuro. Da mesma forma, é de salientar que quanto maior for a entrada, menos pagará de juros no empréstimo e menor será o prazo contratado.

Existem também alguns aspectos que não podem ser descurados quando se trata de aumentar a probabilidade de o banco aprovar o seu empréstimo. Ser um cliente cumpridor com uma situação profissional estável e arranjar um segundo titular são alguns dos pontos que vão indubitavelmente abonar a seu favor.

 

→ Consulte aqui o artigo sobre o que precisa de saber para escolher a sua casa

 

Este conteúdo é uma reprodução do e-book “Guia Completo para Poupar na Compra de Casa – 2018” desenvolvido pelo ComparaJá.pt em parceria com o Imovirtual. Pode fazer o download do mesmo através do seguinte link: http://bit.ly/2wTkFwX

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code