Quer saber como organizar a arrecadação de casa? Nós temos a solução!

Acabaram as desculpas para ter uma arrecadação cheia de tralha, desarrumada e desorganizada. Afinal, este espaço é bem mais precioso do que imagina e basta um pouco de dedicação, imaginação e critério seletivo para transformar a sua arrecadação numa área verdadeiramente útil e esteticamente agradável. E nós vamos ajudá-lo! 

Comece por destralhar

Para conseguir organizar a arrecadação de casa – e manter essa arrumação por muito tempo – não há volta a dar; o primeiro passo é mesmo o de destralhar. É impressionante a quantidade de objetos e itens desnecessários que acumulamos ao longo do tempo. Sempre com a ideia de que ‘um dia pode dar jeito’, a verdade é que a nossa despensa se torna um verdadeiro espaço de acumulação de tralha ao invés de guardar objetos úteis. Faça uma grande seleção e guarde apenas aquilo que realmente usa. Caso guarde também mercearias e alimentação, aproveite para verificar a validade de todos os produtos e descartar o que já não estiver em boas condições de uso. 

Trace o seu objetivo

O segundo passo é o de definir o que quer exatamente para o seu espaço: pretende um local onde guarda a sua mercearia, bebidas e afins ou esta é-lhe também útil para armazenar loiças, tachos e panelas e até mesmo uma área de higiene e limpeza? É muito importante definir este objetivo à partida para que possa, desde logo ‘dividir’ por secções o espaço que tem disponível! Desta forma consegue também perceber com antecipação a quantidade de espaço que vai ter para armazenar e organizar os diferentes itens que possui. 

Categorize

Cada coisa no seu lugar; neste caso, cada categoria na sua devida secção! Esta dica, além de o ajudar a organizar a arrecadação de casa, é um dos segredos para conseguir manter essa organização a médio / longo prazo. Antes de começar a arrumar as coisas propriamente no seu lugar, categorize tudo o que tem e faça ‘montinhos’ com todos os itens. Isto vai permitir ter uma visão do espaço que necessita para cada área (mercearia, limpeza, acessórios de cozinha, pequenos eletrodomésticos, entre outros) e eventualmente até reajustar o seu plano inicial de divisão de áreas na arrecadação. 

Não tenha medo de apostar em acessórios de arrumação

Acredite: se há coisa que nunca é demais são bons acessórios e auxiliares de arrumação e organização. Cestos, pequenas caixas, frascos de vidro, organizadores de gaveta…tudo o que o ajudar a manter cada coisa no seu lugar é bem-vindo! E neste tipo de espaço, quanto menos ‘encavalitadas’ estiverem as coisas, mais probabilidade de manter a organização por mais tempo. É importante que consiga ver tudo o que tem em todas as prateleiras e, não menos essencial, que saiba onde está e chegue a ela sem interferir com outros itens. 

Aproveite para limpar

Já que está numa de arrumar e organizar não deixe a coisa pela metade e limpe também! Aposte numa limpeza bem a fundo, não só do espaço em si (das paredes ao chão, passando pelas prateleiras e/ ou estantes de arrumação), como dos próprios itens a organizar e arrumar. Quando tudo está limpinho parece que até ficamos com outra motivação para manter a arrumação. 

Use e abuse de etiquetas

Se há local onde pode – e deve – usar etiquetas é na arrecadação. Tudo o que guardar em frascos e caixas de arrumação deve ser imediatamente etiquetado – no caso de itens alimentícios devem conter não só o nome do alimento em si como a data de validade; no caso de acessórios e outros itens pode também etiquetar recorrendo a classificações como ‘acessórios para bolos e sobremesas’, ‘material para churrasco’, ‘limpeza cozinha’, ‘limpeza casa de banho’, entre outros.

Aposte em arrumação vertical 

No caso da sua arrecadação ter uma área pequena – ou mesmo que não tenha pode usar esta dica – um truque que o ajuda a aumentar a capacidade de arrumação e organização é o de recorrer a organização vertical. Painéis de arrumação, prateleiras por cima do umbral da porta ou até mesmo cestos presos à parede são algumas das alternativas que resultam bem a nível estético e que a nível funcional fazem também a diferença. 

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“Quer saber como organizar a arrecadação de casa? Nós temos a solução!”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/quer-saber-como-organizar-a-arrecadacao-de-casa-nos-temos-a-solucao

Mudar de casa durante a pandemia

Sabemos que a mudança de casa nunca é um processo fácil, e que nos deixa muitas vezes sob um enorme stress, entre contratar um serviço de mudanças a embalar tudo é importante que exista um planeamento prévio. Ainda para mais, se esta mudança se realizar durante a pandemia. É por esse motivo, que vamos dar-te algumas dicas para ajudar a realizar esta mudança.

A visita da nova casa

Atualmente as visitas a imóveis também têm algumas limitações impostas pelas exigências e cuidados contra a propagação do coronavírus. Apesar de atualmente existir uma parte das visitas que são realizadas virtualmente, quando o visitante tem realmente interesse no imóvel este passará a uma visita presencial. 

Nas visitas presenciais os consultores imobiliários encontram-se previamente prevenidos com um kit composto por luvas, gel desinfectante e proteção para os sapatos, que apesar de tudo deverás sempre levar a tua máscara. Aqui a comunicação entre consultor imobiliário e visitante também se realiza sempre em ambiente aberto – na rua – e com a distância social recomendada de aproximadamente 2 metros. Assim sendo, a visita ao interior do imóvel realiza-se apenas pelo visitante.

Durante a mudança

Para a mudança de imóvel pode contratar um profissional que o ajude neste processo, sem receios uma vez que estes profissionais também adaptaram a forma como operam e muitas vezes a nível económico acaba por compensar mais do que realizar toda a mudança sozinho. No entanto é importante que evite ao máximo qualquer contato físico que possa eventualmente existir, tal como o habitualmente cumprimento com um aperto de mão. 

Certifique-se ainda que todos os intervenientes utilizam o material adequado como as máscaras, luvas e fazem-se acompanhar de um produto desinfectante como o álcool gel. Sendo que deve sempre disponibilizar um sabonete e pano para os profissionais poderem lavar as mãos.

Após a mudança

Finalmente quando todos os seus pertences encontram-se no imóvel novo, desinfecte todas as superfícies que habitualmente são tocadas com uma maior frequência tais como os interruptores da luz, torneiras ou maçanetas. 

Também deve ter um cuidado extra com as suas caixas onde tem todos os seus pertences. Recomendamos que após a mudança desinfecte todas as caixas com álcool e as deixe repousar durante pelo menos 24 horas e no dia seguinte com luvas comece a desembalar todos os artigos. 

Por fim e se assim pretender um cuidado extra, desinfecte também todos os objetos de forma individual, de forma a garantir um ambiente limpo.

Estes são alguns dos cuidados essenciais para um ambiente interior limpo e desinfectado de forma evitar o contágio e propagação do novo coronavírus, durante a mudança de casa. Lembre-se sempre, que se em caso algum sentir algum sintoma deste vírus é importante que adie a mudança de casa durante alguns dias de modo a garantir a segurança de todos os intervenientes. 

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“Mudar de casa durante a pandemia”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/mudar-de-casa-durante-a-pandemia

E se já é a hora de remodelar a sua casa de banho?

Fique atento aos sinais – eles vão dizer-lhe se é ou não altura de remodelar a sua casa de banho. Questões estéticas à parte, existem algumas questões que deve ter em conta e ter noção de que algumas delas são indícios claros da necessidade de fazer uma atualização desta divisória. Afinal, ela é das que tem uma utilização mais intensiva e com a mistura de água e humidade, há que a manter nas suas condições plenas para que se sinta também confortável a utilizá-la.

Paredes ou teto com humidade

Se a sua casa de banho, seja nas paredes ou no teto, começa a apresentar aquelas típicas manchinhas pretas ou acinzentadas de bolor e humidade que já não saem com nenhum produto – por mais milagroso que prometa ser – é porque está de facto na hora de remodelar a sua casa de banho. Este espaço está sujeito a humidades numa lógica diária e nem sempre é fácil arejar a divisória, pelo que acaba por ser um dos tipos de desgaste mais comuns associados à remodelação das casas de banho. 

Chão partido ou com manchas impossíveis de remover

Sim, também o chão precisa de manutenção e de remodelação! Existem mil e uma alternativas de pavimento de casa de banho – das cerâmicas aos laminados ou vinis. E cada um tem as suas particularidades, pontos fortes e pontos fracos. É necessário, assim, ter esta questão em mente e estar atento a sinais de grandes desgaste que indicam que está na hora de trocar: chão levantado, com fissuras ou partido ou até com manchas tão profundas que se tornam impossíveis de remover são alguns deles. 

Chão partido ou com manchas impossíveis de remover

Sim, também o chão precisa de manutenção e de remodelação! Existem mil e uma alternativas de pavimento de casa de banho – das cerâmicas aos laminados ou vinis. E cada um tem as suas particularidades, pontos fortes e pontos fracos. É necessário, assim, ter esta questão em mente e estar atento a sinais de grandes desgaste que indicam que está na hora de trocar: chão levantado, com fissuras ou partido ou até com manchas tão profundas que se tornam impossíveis de remover são alguns deles. 

Sanita com fissuras ou com constantes avarias

Ora aqui está um tema que não é imensamente agradável de abordar…mas que, por outro lado, é absolutamente necessário: a sanita. A sanita é outro dos focos de uma casa de banho e é importante que esteja em condições ótimas de utilização e que o seu estado de funcionamento esteja sempre perto dos 100%. A partir do momento em que detetar fissuras na sanita, em que os problemas com entupimentos e afins começam a ser mais regulares e visualmente o seu estado já não está aprazível, não pense mais: é hora de remodelar. 

Lavatório com tinta ou revestimento levantado

O lavatório da casa de banho pode assumir diversas formas, materiais e revestimentos: há quem tenha só o lavatório e umas tábuas, há que opte por armários de até ao chão e com bastante largura, outros preferem mobiliário suspenso…o que importa saber aqui é que todos eles exigem manutenção e substituição em algum momento. Fique atento a sinais como as orlas a levantar, o próprio lavatório a escanar, as portas do armário desengonçadas…todos eles são indicadores de que será melhor começar a pensar em renovar. 

Cheiros intensos e impossíveis de eliminar

Entra na sua casa de banho e por mais que coloque difusor de aromas, por mais que lave, por mais que o perfume e limpe está sempre um odor um pouco desagradável? Pois bem, isso poderá muito provavelmente ser sinal de que é hora de remodelar a sua casa de banho. E de chamar um especialista para verificar o estado das canalizações e das tubagens! Peça sempre ajuda profissional para este tipo de trabalho e não se aventure no DYI, sob pena de depois ter de gastar ainda mais dinheiro – a corrigir as asneiras que cometeu e para a execução do serviço propriamente dito. 

Quando já não existe conforto

Por fim, é também sinal de que é hora de remodelar a sua casa de banho quando, apesar de nenhum dos motivos anteriormente descritos serem tão evidentes, simplesmente já não se sente confortável neste espaço. Ou porque os equipamentos já estão datados, ou porque está mesmo a precisar de uma renovação, ou até porque comprou uma casa e não é aquele tipo de mobiliário e estilo que gosta…este também pode ser – e não poucas vezes o é – um fator determinante para decidir se é hora de remodelar a sua casa de banho. 

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“E se já é a hora de remodelar a sua casa de banho?”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link:https://projetos.habitissimo.pt/projeto/e-se-ja-e-a-hora-de-remodelar-a-sua-casa-de-banho

Férias em casa: Um guia para aproveitar cada espaço

Agora que estamos quase a entrar no verão, e com ele vem o bom tempo, os dias maiores e o calor, vêm também as férias por que tanto ansiamos durante o ano todo. Porém, e dada a pandemia muitas são as férias que tiveram de ser canceladas ou ajustadas de modo a cumprir todas as normas e indicações dadas pelas entidades de saúde. 

Para que não desanime, vamos deixar-te 5 ideias que pode fazer em casa de modo a aproveitar cada espaço ao máximo. Vamos a isto?

Aproveita para relaxar

Ao longo de todo o ano, e com a azáfama do dia-a-dia desejamos muitas vezes descansar e relaxar ao máximo. Quer seja um dia intenso de spa com massagem ou apenas colocar em dia todos os episódios da nossa série favorita. 

Por isso mesmo, sugerimos que comece as tuas férias a cuidar de ti. Como?! Tira algumas horas do teu dia para mimar-te… Com alguns truques caseiros, pode facilmente fazer uma máscara para o cabelo, corpo e rosto, relaxar na banheira e por fim sentar confortavelmente no teu sofá e desfrutar da tua série ou filme favorito. No fim do dia, certamente que te vai sentir muito melhor e mais relaxada.

Churrasco em casa

O tempo quente, combina na perfeição com grelhados e mais tempo na varanda ou quintal, por isso mesmo sugerimos que incluas esta prática durante as tuas férias em casa. 

Com os dias maiores e a impossibilidade de reunir com amigos fora de casa ou grupos grandes. Junta a tua família e com faz um churrasco em casa. Esta é uma solução que não precisa de um alto investimento e que será um bom serão em família, temos a certeza que muito divertido!

Bricolage

Este é o momento que pode aproveitar para fazer algumas melhorias que tem vindo a adiar já há muito tempo… Lembra dos puxadores das portas que queria mudar? As paredes que gostava de pintar ou até os móveis da cozinha que queria dar uma vida nova?

Existem muitas melhorias que podemos fazer dentro de casa, sem ter necessariamente de comprar novos artigos ou peças, pode facilmente melhorar algumas divisões na tua casa com apenas alguns detalhes como puxadores, pintura de paredes ou móveis ou até mudar a disposição dos móveis na tua casa.

Aprende mais

Durante o tempo que está em casa de férias e com mais tempo livre, pode aproveitar para aprender e desenvolver novas competências… Pode fazer um curso online de vários temas como jardinagem ou cozinha e até mesmo aprender a fazer alguns DIY que vão entreter-te e ocupar durante as tuas férias. 

Existem várias opções de DIY que pode fazer como decorar molduras, peças em macramé, costura… E quem sabe se os teus DIY não se tornam no teu hobbie favorito?!

Acampamento sem sair de casa

Sabemos que os miúdos adoram acampar, mas agora esta é uma das práticas que temos que evitar. Porque não acampar em casa?! Caso tenha um quintal ou até uma varanda, reúne a família e juntos montem a tenda. Pode seleccionar uma série de actividades para fazer com os miúdos, como observar o céu durante a noite ou uma caça ao tesouro com várias etapas para os desafiar e terem a experiência completa e um acampamento verdadeiro… Sem sair de casa!

Com toda a certeza que será uma experiência diferente e que os mais novos vão querer repetir mais vezes.

Estas são algumas sugestões que pode fazer durante as tuas férias em tempos de pandemia e sem sair de casa. Uma solução económica, que faz com que possas aproveitar e desfrutar de cada espaço da tua casa.

Qual a tua dica favorita?

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“Férias em casa: Um guia para aproveitar cada espaço”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/ferias-em-casa-um-guia-para-aproveitar-cada-espaco

Feng shui em casa: como aplicá-lo em 10 passos simples

Saber como aplicar o feng shui em casa obriga ao cumprimento de alguns pressupostos. Identificamos quais para que o possa fazer em sua casa.

Se quer descobrir como aplicar o feng shui em casa de forma simples e objetiva, nós reunimos especialmente para si algumas ideias e diretrizes que o vão ajudar a colocar em prática esta filosofia, especialista em captar as melhores energias.

Portanto, aprenda connosco como aplicar o feng shui em casa e atraia para sua casa saúde, bem-estar e prosperidade que são, afinal, 3 dos pilares principais da vida de todos nós.

Como aplicar o Feng Shui em casa? Nós ensinamos

1. Cama

No quarto, a cama deve ficar junto a uma parede que não tenha janelas, nem portas. Ela pode ficar voltada para a porta, desde que não com os pés da cama.

Apesar de haver muitas camas que já não a têm, segundo o feng shui é importante que a cama tenha cabeceira, pois ela simboliza segurança.

2. Harmonia

O feng shui defende a harmonia e, para tal, há elementos que esta filosofia julga essenciais, sobretudo num quarto dividido por 2 pessoas. Decore o espaço com 2 mesas de cabeceira iguais, cada uma das quais colocada de um dos lados da cama.

As cortinas compridas, que vão até ao chão, são também uma forma de tornar o quarto acolhedor e contribuir para esse sentimento de harmonia, aconchego e carinho entre as pessoas que dormem naquela divisão.

3. Espelhos

Mais do que usar ou não espelhos, aquilo que o feng shui toma em atenção é o posicionamento dos mesmos. Ou seja, de acordo com esta filosofia, os espelhos não devem refletir a cama e devem ser amplos. Isto, porque o reflexo da cama pode provocar insónias.

No hall de entrada, pode colocar um espelho ao lado da porta, já que tal dá a sensação de ampliar o espaço. Na sala, deve pendurar um espelho frente à mesa de jantar, pois isso ajuda a trazer prosperidade para a casa. Se tiver um corredor muito extenso que termina numa porta, então aí também pode preencher uma parede com um espelho, o qual ajuda a captar energia.

4. Cores

Todos sabemos que cada cor acarreta alguns significados e provoca outras tantas sensações, pelo que o feng shui também tem uma palavra a dizer sobre esta matéria. No quarto, por exemplo, é preferível usar cores claras, que convidem ao repouso e ao relaxamento.

Em espaços pequenos, devem evitar-se tons escuros, porque eles podem tornar o ambiente depressivo e fazer a divisão parecer ainda menor. Em áreas maiores ou para pintar apenas uma parede, pode optar por cores fortes e vibrantes como o vermelho ou o laranja, por exemplo, o qual transmite ação e movimento.

Se toda a casa for pequena, aposte em paredes de tons claros e deixe as cores mais vivas para os objetos decorativos.

5. Organização

Para o feng shui, arrumação é a palavra de ordem. Portanto, recorra a muitas caixas de arrumação que permitam manter tudo no devido lugar. Tal contribui para a clareza mental.

Portanto, trate de separar as contas para pagar dos exames médicos e evite amontoados de papel.

6. Sala de estar

A zona de receber e de estar com os convidados deve ser confortável. Coloque o sofá, as poltronas e as cadeiras voltadas para a porta, para que nunca esteja de costas para quem entra.

Modelos em L ou em U cumprem bem este pressuposto e devem ser preenchidos com almofadas de cores alegres, estampadas e com tecidos bem macios.

7. Armários da cozinha

Para o feng shui, os armários da cozinha são o reflexo da sua carteira. Portanto, trate de os manter bem organizados e sem produtos com a validade expirada.

Recipientes sem tampas ou partidos também devem ser descartados. Itens cortantes como facas e tesouras devem ser bem guardadas e nunca estarem expostas.

8. Fogão

Esta filosofia oriental defende que o fogão é símbolo de saúde e prosperidade. Por essa razão, ele deve estar sempre limpo, a funcionar a 100% e a ser utilizado com alguma regularidade.

9. Plantas

As flores, como seres vivos que são, têm impacto no nosso dia a dia. Elas fazem-nos sentir bem, além de darem uma graça especial à decoração da nossa casa. Prefira espécies práticas e fáceis de cuidar, para que tenha sempre plantas frescas e viçosas. Combine, ainda, flores brancas com verduras e capte as melhores energias.

Alguns exemplos de boas espécies para ter por perto são os lírios, pois renovam o ar, a espada-de-São-Jorge, porque é protetora e indicada para colocar em varandas e nos WC, ou a árvore-da-felicidade, propiciadora de bons relacionamentos.

10. Iluminação

Não descure na iluminação, evitando por tudo ter zonas escuras em casa. Coloque candeeiros de mesa nas áreas menos iluminadas e privilegie sempre a iluminação natural, deixando entrar a luz solar pelas janelas e portas. Para isso, prefira também cortinas leves e transparentes e paredes e tetos claros para refletirem essa mesma luz.

Existem, já, muitos mitos e preconceitos relativos a esta filosofia oriental. Por essa razão, é tão importante saber como aplicar o feng shui em casa, sem cair em fundamentalismos ou medidas inconcebíveis.

Siga as sugestões que lhe deixámos e descubra como aplicar o feng shui em casa pode ser fácil e trazer muitos benefícios para o ambiente da sua habitação, tornando-a mais bem energizada e cheia de vitalidade.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Feng shui em casa: como aplicá-lo em 10 passos simples”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/como-aplicar-o-feng-shui-em-casa/

6 truques para transformar facilmente um quarto de bebé num quarto de criança

À medida que vão crescendo, as crianças vão também desenvolvendo novos gostos. E é fácil transformar os espaços com apenas algumas mudanças.

Todos nós sabemos a dedicação e o tempo que é investido na montagem de um quarto de bebé, ainda assim, este tem um prazo de validade muito curto. Os bebés crescem de dia para dia, começam a andar, a falar, ganham uma certa independência, passam pela fase de introdução de alimentos e, de repente, a poltrona de dar de mamar já não faz sentido.

À medida que vão crescendo, as crianças vão também desenvolvendo o seu gosto e começam a preferir cores mais vivas, ao contrário das cores mais suaves de um quarto de bebé. Mostramos-te alguns truques que te ajudarão, seguramente, a transformar um quarto de bebé num quarto de criança.

1. Substituir o berço por uma cama de criança

Caso o berço do bebé tenha grades de proteção removíveis, podemos simplesmente retirar uma proteção lateral, permitindo à criança ter liberdade para sair e entrar na cama quando quiser e assim conseguimos que o berço tenha uma maior durabilidade. Caso não seja este o caso, recomendamos que compres uma cama própria para crianças, que se carateriza por ser baixa e em que podemos usar o colchão e a roupa de cama que já tínhamos.

Se quisermos fazer um investimento a longo prazo, pensando já na fase adolescente, aconselhamos a comprar uma cama de tamanho normal. Neste caso, convém adicionarmos uma proteção nas laterais e um banco para ajudar a criança a entrar e sair da cama por conta própria.

2. Adaptar o trocador/muda-fraldas

À medida que o bebé vai crescendo vai deixando as fraldas de lado, pelo que o trocador deixa de fazer sentido. Desta forma, podemos aproveitar da melhor maneira este espaço. Sugerimos que utilizes este espaço como arrumação para os livros e brinquedos da criança. É importante utilizar um móvel baixo ou caixas, de modo a que a criança tenha acesso fácil e não dependa de ninguém de cada vez que queira brincar com o seu brinquedo preferido.

Levar também em conta que agora temos de ter os cremes, loções, pomadas, tesouras, fora do alcance da criança. Recomendamos que os guardes fora do quarto da criança, assim tens a certeza de que a criança fica em segurança no seu quarto.

3. Criar espaço para muita diversão

Ter espaço suficiente para brincar é incrível. E existir espaço disponível no quarto da criança também ajuda a manter o resto da casa mais arrumada e com menos brinquedos espalhados.

Este é o lugar perfeito para uma tenda, uma casa de bonecas, mini cozinhas ou uma mini mesa e cadeiras. Pergunta à tua criança de que é que ela gosta. É importante que elas também tenham um papel ativo na reformulação do seu quarto, permitindo-nos, assim, conhecer mais a fundo quais são os seus gostos e preferências.

4. Reorganizar

Nesta fase de crescimento, as crianças começam a ficar muito orgulhosas de tudo e do que conseguem fazer por conta própria. Por isso, temos de ter em consideração onde e como guardamos as coisas, nomeadamente a roupa.

Quando a criança começa a ficar mais independente, provavelmente vai querer vestir-se sozinha e abdicar da ajuda de um adulto. De modo a que a criança comece a criar os próprios conjuntos, reorganiza as roupas para que estas sejam apropriadas à estação atual e de modo a que estejam nas prateleiras inferiores e nas gavetas de baixo, ficando assim de fácil acesso.

5. Decoração

A tendência nos dias de hoje é ter um quarto de bebé o mais neutro possível em relação ao género, permitindo que não surja a necessidade de ter de alterar a decoração muito cedo.

Mas se tiveres algum orçamento reservado para alterar alguns detalhes, ótimo. Pode ser um bom momento para alegrar o quarto das crianças e pintar as paredes (ou apenas uma parede) com uma cor mais alegre. Basta escolher uma que acrescente alguma personalidade ao quarto. Não esquecer de perguntar qual a cor de que elas mais gostam e se estão de acordo com a cor que escolherem.

As paredes escuras deixam o quarto muito pesado, sendo que a criança precisa de um quarto luminoso pois é mais relaxante e reconfortante. A madeira clara, a cor branca ou os tons pastel são excelentes alternativas. Também existe a possibilidade de utilizarmos papel de parede, tornando o quarto mais divertido. Ter em atenção para não utilizarmos nenhum que tenha padrões ou desenhos muito grandes, pois isto não facilita a concentração da criança nas diversas atividades, comprometendo o seu desenvolvimento.

É importante referir que a decoração do quarto deve ser modificada de acordo com a idade da criança, adaptando-se sempre à mesma. Muda os quadros para outros com temas mais maduros/adultos. Adiciona mais texturas e padrões ao quarto, ao adquirir almofadas de tamanhos diferentes, tapetes e mantas coloridos.

Ter um espelho adequado à sua altura é muito importante para a sua interação e para reconhecerem a sua própria imagem, fundamental no seu correto desenvolvimento. Acrescenta também um gráfico de crescimento para que os teus filhos possam acompanhar a sua altura.

O principal ponto a ter em conta no momento de fazer um investimento na decoração é considerar a longevidade das peças decorativas. Adquire peças neutras e clássicas de modo a que não seja necessário substituir por outras num curto espaço de tempo e que possam ter mais que um propósito.

Faz o mesmo para os itens de banho, como por exemplo, as toalhas com capuz. Deixe que a criança seja responsável por recolher o que precisa para a hora de banho, fazendo com que a se torne mais autónoma, algo muito importante para o seu desenvolvimento.

6. Segurança

Num ambiente com elementos ao alcance da criança, não nos podemos descurar com a segurança. Por isso, é importante ter em consideração o seguinte:

  • Evitar móveis ou outros elementos com quinas;
  • Não usar quadros com vidro, preferir o acrílico:
  • Fixar os objetos e móveis à parede com fita dupla face (evitar os pregos);
  • Esconder e proteger as tomadas.

No geral, uma transformação de sucesso de um quarto de bebé para um quarto de criança passa por permitir à criança independência num lugar que seja seguro e que lhe permita um correto desenvolvimento da personalidade e competências. Portanto, tem a certeza de que o quarto novo permite à criança brincar à vontade, sem ser necessário pedir ajuda a um adulto. Além disso, confirma também que se sente confortável em deixar a criança sozinha, o que significa colocar os riscos fora de alcance, removendo qualquer tentação de trepar móveis ou objetos.

As crianças normalmente são muito curiosas e destemidas, portanto permite que elas usufruam de um espaço em que se sintam seguras e, em seguida, respira fundo e aproveita. Esta fase passa num instante.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“6 truques para transformar facilmente um quarto de bebé num quarto de criança”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/decoracao/espacos/2020/07/06/43866-truques-para-transformar-facilmente-um-quarto-de-bebe-num-quarto-de-de-crianca

10 dicas para manter a casa segura: os riscos mais comuns e como evitá-los

A casa, como tudo em geral, necessita de alguns cuidados regulares e de algumas manutenção, para evitar danos no futuro.

Um curto circuito pode originar um incêndio, que pode causar danos às pessoas que se encontram em casa, aos eletrodomésticos, ao mobiliário ou à própria habitação. A juntar ao risco de incêndio, surgem também as inundações, os acidentes pessoais ou outros. A lista de riscos do lar é enorme, mas há sempre formas de evitar este tipo de situações desagradáveis. O importante é estar atento e prevenir, não deixando a proteção da casa para segundo plano. 

A casa, como tudo em geral, necessita de alguns cuidados regulares e de algumas manutenção, para evitar riscos desnecessários. A pensar num lar mais protegido e seguro, a Zurich Portugal preparou uma lista de 10 dicas fundamentais que agora reproduzimos na íntegra. 

10 riscos e 10 dicas para uma casa segura

  • Para te proteger de riscos elétricos, evita utilizar tomadas ou extensões danificadas, procurando substituí-las assim que possível. Assegura-te de que as tomadas e extensões não entram em contacto direto com a água. Caso necessite de efetuar mais do que uma ligação elétrica, opta por adquirir uma extensão com o número de entradas necessárias e não pela sobreposição de extensões;
  • Para prevenir avarias nos eletrodomésticos, efetua uma limpeza e manutenção regulares, mantém-nos longe de fontes de calor ou de humidade, especialmente na cozinha e casa de banho e quando tiver de te ausentar por longos períodos de tempo desliga-os sempre que possível. Quando for de férias, não é aconselhável deixar os equipamentos em stand-by. Para garantir um maior ciclo de vida dos eletrodomésticos consulta o manual de instruções. Em caso de avaria, o melhor será contactar um técnico especializado;
  • Em relação ao risco de incêndio, o recomendável é que guarde sempre os produtos inflamáveis longe de fontes de calor, que vigie o fogão sempre que estiver ligado e, no caso de cheirar a gás, deves fechar rapidamente a válvula de segurança e contactar um técnico especializado. Agenda verificações periódicas do sistema elétrico da tua habitação, de forma a identificar eventuais anomalias;
  • No caso do risco de danos por água, como o entupimento de canos, a recomendação passa por utilizar um filtro no lavatório da cozinha e na casa de banho, de modo a prevenir que restos de sujidade se acumulem nos canos, como restos de comida ou cabelos. Aproveite também para limpar os canos com produtos indicados para esse fim;
  • Para o risco de danificação do mobiliário, durante as limpezas ou mudanças, verifica se o mobiliário fixo – aparafusado e encastrado – se encontra bem montado, de forma a prevenir quedas e danificações.
  • Para evitar quedas ou acidentes dentro de casa, mantém-na sempre arrumada e livre de objetos no chão, incluindo cabos de extensões elétricas. Opta por aplicar tapetes antiderrapantes nas diversas divisões da casa e tem especial cuidado com o chão molhado na casa de banho e cozinha;
  • No caso de ter um jardim, faz uma manutenção regular do espaço de modo a reduzir o risco de deterioração e a danificação dos arbustos, sebes, árvores, mobiliário de exterior ou outros componentes;
  • Importante também é a prevenção do risco de roubo. Para maior segurança da tua habitação e da tua família, não abra a porta de casa ou do prédio a quem não conhece e, sempre que estiver fora ou dentro de casa, fecha a porta à chave. No caso de ir de férias ou de te ausentar por um longo período, informa as autoridades de segurança e os teus vizinhos, para que possam estar atentos a movimentações suspeitas;
  • Para te precaver relativamente ao risco de tempestades, mantém-te atento às previsões meteorológicas e segue as recomendações do Instituto Português do Mar e da Atmosfera e da Proteção Civil;
  • Para te proteger de todos os riscos já enumerados, é recomendável contar com um seguro multirrisco para a habitação que garanta a proteção da tua casa, dos teus bens e, claro, da

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“10 dicas para manter a casa segura: os riscos mais comuns e como evitá-los”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2020/07/01/43829-10-dicas-para-manter-a-casa-segura-os-riscos-mais-comuns-e-como-evita-los

As 5 etapas a seguir para ter um quarto moderno

Gostava de conseguir transformar o seu cantinho de descanso num quarto moderno e cheio de pinta? Saiba que o consegue recorrendo a 5 simples etapas, simples e fáceis de implementar. Preparado para seguir este nosso guia? 

1. Cores

Um dos passos mais importantes para conseguir um quarto moderno recorrendo a uma etapa simples e não muito dispendiosa passa por analisar bem a palete cromática atual do seu quarto. E ao contrário do que possa pensar, um quarto moderno não pede múltiplas e berrantes cores. Atualmente, um quarto bem atual quer-se bem iluminado. E uma das formas de conseguir esse objetivo passa pelas cores que coloca nas paredes e nos mobiliários. Procure cores neutras – brancos, beges, cremes, azuis neutros – para a grande maioria do ambientes e deixe as cores mais arriscadas para investir num ou outro pormenor, seja na parede, numa peça decorativa ou até mesmo num pequeno item de mobiliário. 

2. Mobiliário

Os quartos modernos vêm-se na sua capacidade de conciliar os itens e manter a simplicidade e os espaços arejados. Não precisa de ter uma cama “xpto” para conseguir um quarto cheio de modernidade – na verdade, até com um conjunto de paletes o vai conseguir, quando bem aplicadas! Pode também querer apostar em restaurar uma ou outra peça de mobiliário antigo. Aqui, o que conta é não esquecer que menos é mais e que os espaços devem ficar amplos, bem iluminados, arejados, funcionais e, sempre, mas sempre, arrumados e organizados. 

3.Têxteis

Os toques finais é que fazem geralmente a diferença num cenário decorativo. E os quartos modernos não são exceção! Os têxteis são exemplos perfeitos desse pormenor que muitas vezes está em falta e não percebemos qual é e em que pode – e deve apostar. Almofadas em quantidade na cama, sobreposição de mantas e cobertas e cortinados de boa qualidade são alguns dos têxteis em que vai certamente ganhar pontos para conseguir criar o seu quarto moderno de sonho. Tenha apenas em atenção o panorama geral do ambiente e não exagere em padrões e temas diferentes e terá tudo para conseguir um excelente resultado final. 

4.Decoração 

Ao nível da decoração, os quartos modernos não podem coisas em demasia. Lembre-se: aposte na qualidade ao invés da quantidade. E pense sempre no espaço que tem antes de comprar uma peça pela qual se apaixonou. Uma das coisas que ‘mata’ de imediato o estilo moderno num quarto é um espaço carregado de bibelots e peças decorativas que só estão aí colocadas para ganhar pó e nada mais. Faça uma análise precisa do seu espaço, inspire-se em revistas e publicações da especialidade e, na dúvida, não hesite em pedir ajuda a quem sabe – no final não se vai arrepender. Ah, e claro, nunca se esqueça dos apontamentos verdes! 

5.Organização

Organização, tal como já tínhamos referido, é mesmo uma das palavras de ordem nos quartos modernos – daquelas que não pode mesmo abdicar! Em qualquer ambiente moderno que encontre nas suas pesquisas, vai perceber que nada está fora do sítio, nada parece desequilibrado e tudo está impecavelmente arrumado. E não o é assim por acaso – um quarto moderno quer-se assim mesmo! Com mobiliário simples e funcional, muito espaço de arrumação e sem tralha acumulada, o mobiliário presente nestes espaços está sempre carregado de acessórios de organização para que cada coisa fique no seu lugar. E não, não precisa estar tudo escondido, desde que devidamente arrumado e organizado. Afinal, ter um quarto moderno pode ser bem fácil! 

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“As 5 etapas a seguir para ter um quarto moderno”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/as-5-etapas-a-seguir-para-ter-um-quarto-moderno

Tendências para a sua cozinha

O verão pode ser uma altura maravilhosa para fazer mudanças em casa. Mudanças, por exemplo, como mudar a cozinha. Um lugar que pode ser o coração da nossa casa e que merece todo o mimo que lhe podemos dar. Hoje, vamos falar-lhe das tendências e materiais para remodelar a cozinha e que darão que falar nas revistas de decoração.

1. Viva o desenho industrial!

Não podemos negar que a estética industrial está na moda. O estilo urbano estende-se desde a sala até à cozinha, unindo muitas vezes diversas divisões. O conceito open space está longe de sair das tendências decorativas.

Uma cozinha industrial procura, antes de mais, materiais que recordem os antigos armazéns nova-iorquinos (em que nasceu o conceito de loft). 

Para ter uma cozinha industrial, sugerimos o uso de cores contemporâneas que imita o cimento e o betão, entre outros artigos com um tom mais escuro e estrutura desgastada que podia ficar perfeito com móveis de madeira ou até negros.

2. Cozinhas escuras, mas elegantes

Os tons escuros no mobiliário da cozinha e nas bancadas são uma tendência absoluta e isso está claro para nós. Uma cozinha negra pode ser a cereja no topo do bolo na sua casa. Se conta com muita luz e um espaço amplo, não descarte esta opção. 

Uma bancada de cozinha também é tendência em 2020, e indicamos que pesquise mais sobre o Silestone, um material fabricado com mais de 90% de quartzo natural, tem uma grande solidez na sua superfície. Um material com grande resistência e durabilidade, precisamente o que procuramos para a nossa casa.

3. Materiais que servem para tudo

As cozinhas atuais são funcionais, como sabemos, mas para além disso, uma cozinha moderna procura materiais versáteis. 

Indicamos o microcimento, é resistente e para uma região com humidade é a escolha perfeita devido a sua impermeabilidade. Além desta vantagens, o microcimento é indicado para pisos, bancadas, cadeiras e até mesmo na parede!

O granito também é um material versátil e que conquista os nossos corações – pode ser usado como rodapés, bancadas, acabamentos e se deixar a imaginação livre, pode aplicar como revestimento de pisos e paredes. É um material resistente e há muita variedade de tons.

A madeira! Ah, um material que geralmente é usado em cozinhas clássicas e de estilo rústico – Além da versatilidade nos estilos, também pode ser usado no chão, nas bancadas, nos armários, prateleiras, mesas, cadeiras, entre outros componentes. Os custos da madeira podem ser elevados, mas se couber no seu orçamento, podem trazer um toque natural e torna a cozinha esteticamente linda.

4. Superfícies que brilham

O efeito espelhado também é um acabamento que se procura muito. Um bom exemplo são as cozinhas lacadas. Cozinhas cujo móveis refletem o brilho da luz, dando um efeito moderno e elegante. A durabilidade dos móveis lacados é uma das principais características deste acabamento, assim como o aspeto limpo que se deixa numa cozinha totalmente lacada.  Outro fator importante a saber sobre a lacagem de móveis de cozinha, é que podem ainda ser de variadas cores! Sim, é possível lacar a sua bancada de cozinha com cores vivas, como o vermelho, azul, entre outras. 

Qual destas tendências vai usar na sua cozinha?

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“Tendências para a sua cozinha”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/tendencias-para-a-sua-cozinha

Não tem climatização em casa? Saiba como manter a casa fresca no verão!

Durante o período do verão existem muitas casas que por diversos factores como a exposição solar, construção ou localização fazem com que as mesmas se tornem muitos quentes, por esse motivo hoje vamos dar 5 dicas para que possa manter a casa fresca durante o verão.

  • Evite o contacto direto com o sol

Durante as horas de maior calor, evite os contacto do sol com o interior da habitação e por isso feche todas as janelas e persianas. Procure, apenas, manter as mesmas abertas nas primeiras horas da manhã (até perto das 10 horas) e ao fim do dia, a partir das 19 horas quando o sol perde a força do calor e ajuda a circular o ar e refrescar o interior.

  • Procure pontos para corrente de ar

Este é dos truques mais antigos, mas o que efetivamente pode resultar melhor, na sequência da dica anterior, ao fim do dia quando abrir as janelas, procure pontos estratégicos para a fazer correr o ar, por exemplo abrir duas janelas em pontos opostos da habitação.

  • Evite a utilização do forno e outros equipamentos electrónicos

Durante o verão e sobretudo nos dias mais quentes, evite a utilização do forno, caso pretenda manter uma temperatura agradável no interior da casa. Isto porque, o forno trabalha com temperaturas muito elevadas e que naturalmente fazem com que a habitação também aqueça. Outro ponto importante são os equipamentos eletrónicos como a televisão e computador que aquecem naturalmente com a sua utilização e transmitem calor.

  • Usufrua da natureza

A natureza, nomeadamente plantas e flores nos interiores podem trazer benefícios, tais como no verão que ajudam a refrescar o interior, uma vez que ajudam a humedecer o ar. É necessário escolher as plantas adequadas, como as Cróton, Palmeira-Leque, Suculentas ou Peperômia, visto que nem todas se adaptam aos interiores.

  • Cores claras

As cores claras, sobretudo o branco, retém menos luz e menos calor e por isso durante o verão esta é uma cor que deve ser predominante em oposição aos tons mais escuros e/ou coloridos que retém a luz e o calor. Procure utilizá-la na decoração, pintura exterior e interior ou até mesmo nas roupas.

Estes são os nossos truques favoritos, na ausência de ar condicionado ou ventoinha, para manter a casa fresca durante os dias mais quentes. Qual o seu?

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“Não tem climatização em casa? Saiba como manter a casa fresca no verão!”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/nao-tem-climatizacao-em-casa-saiba-como-manter-a-casa-fresca-no-verao