Vantagens do isolamento térmico – diga adeus ao frio em casa!

Vamos falar de isolamento térmico? Num país como Portugal, onde o isolamento térmico das casas já construídas deixa tanto a desejar, este é sem dúvida um tema importante. Isolar a casa é o melhor caminho para obter um maior conforto, mas também uma conta de energia mais baixa. Confira, então, as vantagens de investir no isolamento térmico em casa.

1. Melhorar a temperatura interior da casa

E não pense que isto é útil apenas no inverno para evitar o frio e a humidade. Também no verão poderá desfrutar de uma temperatura mais amena entre portas, melhorando o conforto térmico durante todo o ano.

2. Menos gastos

Seja em aquecimento (a gás ou elétrico) ou no ar condicionado, verá como vai acabar por poupar nas facturas do fim do mês. Encare sempre o isolamento da casa como um investimento a longo prazo, já que deste modo irá conseguir preservar melhor a temperatura interior do imóvel.

3. Proteção da casa e sua estrutura

Ao investir num bom isolamento, estará também a preservar e, no futuro, a reduzir os custos de manutenção da casa – e isto é válido também o isolamento térmico casas já construídas. Assim sendo, pense que estará a proteger os materiais, mas também a estrutura do imóvel, assim como a impermeabilidade das paredes.

4. Bom para a saúde

Nesse sentido, ao isolar termicamente a casa, verá que se acabam os problemas associados à humidade ou à condensação do vapor de água. Logo o risco de aparecer mofo, fungos e outros problemas é também menor. Tal significará também menos riscos para a saúde.

5. Valorização do imóvel

Uma casa com um bom isolamento térmico é também vista como uma vantagem no mercado imobiliário. Hoje em dia, os compradores (cada vez mais informados) privilegiam este tipo de medida e sabem das vantagens que lhes trará a longo prazo um imóvel com uma boa eficiência energética. Isto fará a casa destacar-se entre a concorrência, contribuindo também para a valorização do preço.

6. Opção amiga do ambiente

Gastar menos energia é bom para a carteira, mas também para o ambiente. Se questões como a sustentabilidade e a ecologia são importantes para si, saiba que é possível levar a cabo o isolamento térmico com ecomateriais.

7. Melhorias na casa

Ainda que existam vários tipos de isolamento térmico, verá como este tipo obra é sempre uma excelente oportunidade para fazer outras reparações e arranjos. Se optar pelo isolamento térmico exterior, aproveite para fazer obras de remodelação na fachada, reabilitando-a. O mesmo é válido para o isolamento térmico interior, aproveite esta oportunidade para fazer algumas melhorias.

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“Vantagens do isolamento térmico – diga adeus ao frio em casa!”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/vantagens-do-isolamento-termico-diga-adeus-ao-frio-em-casa

10 Truques simples para fazer a casa parecer maior

Temos para si 10 dicas para fazer a casa parecer maior. Mesmo que viva num T0 ou num T1, verá como bastam pequenas coisas para conferir uma maior sensação de espaço à casa. Não acredita? Então, o melhor é pôr as mãos à obra hoje mesmo, seguindo estes nossos conselhos!

1. Valorizar as janelas

Nada como uma boa dose de luz natural para conferir uma maior sensação de espaço a uma divisão. Evite estores pesados, assim como cortinados escuros e curtos. Use antes tecidos leves e fluídos, que deixem a luz entrar no espaço.

2. Decorar com tons claros

Outro truque simples para a casa parecer maior é usar cores claras na decoração do espaço. Verá como ao pintar a casa conseguirá facilmente um efeito mais harmonioso e menos claustrofóbico. 

Quanto à melhor cor, neste campo, nada melhor do que o branco! Se bem que se quiser dar um toque extra de profundidade pode sempre pintar uma – apenas uma – parede com uma cor mais escura.

3. Incorporar espelhos na decoração

E, sim, falamos no plural! Além dos jogos de luz, os espelhos permitem aumentar a percepção do tamanho de uma habitação. Assim sendo, desde espelhos de parede, aos colocados no chão, grandes ou pequenos: todos são bem-vindos para decorar.

4. Usar estantes abertas

Para fazer a casa mais grande, nada melhor do que espaços abertos e amplos. Nesse sentido, estantes abertas são uma excelente opção a considerar, inclusive se tiver de dividir ou criar espaços numa mesma divisão.

5. Colocar o mesmo pavimento em toda a casa

Se optar por colocar o mesmo chão na casa toda, verá como algo tão simples será capaz de lhe transmitir aquela sensação de continuidade e grandeza que procura. E mais: se optar por instalar o pavimento na vertical, irá comprovar como essa sensação sai reforçada.

6. Instalar portas de correr

Por ocuparem menos espaço, as portas de correr são ótimas para espaços pequenos. Além disso, instalar portas de correr é muito fácil e dão sempre um toque de estilo e modernidade em qualquer casa.

7. Optar por objetos pouco volumosos

Menos é mais, certo? Pois bem, isso é válido na hora de fazer uma casa pequena parecer maior também! Nesse sentido, opte por itens que ocupem pouco espaço. E, já agora, limite-se ao essencial – que é como quem diz, aproveite esta oportunidade para destralhar e livrar-se daquilo que tem a mais e/ou que já não usa.

8. Ter móveis feitos à medida

Seja em espaços grandes ou pequenos, um dos erros de decoração mais comuns é não escolher os móveis certos para cada espaço! Quando isto acontece, é muito comum acabarmos com móveis demasiado grandes e desajustados ao espaço.

Se tem uma casa pequena, este detalhe ganha uma importância ainda maior! Por isso, aconselhamos fazer móveis à medida. Além disso, esta opção permite-lhe uma maior optimização do espaço, assim como mais arrumação – algo que espaços pequenos sempre carecem. E se a sua casa tem divisões de tectos irregulares ou muitos cantos, com móveis à medida poderá tirar proveito de cada espaço.

9. Valorizar o lado vertical

Ao fazer isto, estará também a reforçar o pé alto da divisão. Assim sendo, aproveite para colocar livros, quadros e outros itens de decoração/arrumação.

10. Ver para além do óbvio

Espaços e casas pequenas são um teste à criatividade de qualquer um, inclusive de um decorador experimente! Mas isso não significa que tem de sacrificar o bom gosto, nem a criatividade ou as suas necessidades. Por exemplo, se não tem espaço para fazer um escritório, use o parapeito da janela para incorporar a mesa de trabalho. E se precisa de mais armários, integre a arrumação na cama, com uma cama multifunções. Como vê, há sempre uma solução!

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“10 Truques simples para fazer a casa parecer maior”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/10-dicas-para-fazer-a-casa-parecer-maior

Dicas para manter a casa quente em dias frios

Há dicas simples e eficazes para manter a casa quente em dias frios. Relembre-as e coloque-as em prática para se sentir confortável até nos dias de inverno.

Manter a casa quente em dias frios é possível e não estamos apenas a falar de recorrer ao aquecimento central. Se é daquelas pessoas que gosta de ouvir a chuva cair no conforto do interior da sua casa, saiba que é possível ter esta sensação enquanto mantém a casa quentinha.

Conseguir ter a casa quente nos meses frios é essencial, mas não apenas para evitar que trema de frio ou que constipe. No nosso país, a qualidade da construção mais antiga e mesmo da mais recente (apesar das apertadas legislações), deixa muito a desejar no que ao isolamento térmico diz respeito.

Ainda que o nosso inverno não seja extremamente rigoroso, as casas não estão preparadas para o receber. Conclusão: paredes e caixilharias muito finas, deficientes sistemas de aquecimento, má ou inexistente ventilação e vários buraquinhos por onde o frio pode entrar, não só prejudicam a sua saúde como a sua carteira.

Saiba como manter a casa quente em dias frios

Prepare bebidas quentes

Não existe nada melhor para subir a nossa temperatura corporal do que beber uma bela e saborosa bebida quentinha. As opções são várias: desde chá a café, sem esquecer um delicioso chocolate quente.

Elabore refeições no forno

Outra boa dica para manter a casa quente em dias frios é começar a preparar as refeições no forno. Bolos e comida assada são sempre boas opções. Além do conforto que a comida quentinha nos proporciona, o calor do forno pode ser aproveitado para aquecer a casa.

Isole as portas e janelas

Uma opção quase básica para manter a casa quente em dias frios é isolar as portas e as janelas, de forma a evitar a entrada do frio. Ora, como para grandes males há grandes remédios, saiba que pode adquirir espuma ou borracha para servirem este propósito de isolamento. Encontrará ajuda em hipermercados, nas grandes superfícies ou nas drogarias.

Mude a decoração

Mude a disposição dos móveis para conseguir guardar o calor. Apostar na retenção do calor é a melhor forma de conseguir manter a casa quente e minimizar os custos com o aquecimento. Paredes exteriores despidas, mais depressa deixam o calor fugir. Assim, encoste grandes móveis às paredes, cubra-as com espelhos, molduras e papel de parede.

Feche persianas e portadas

Com a hora de inverno e os dias frios, não há motivo para manter as persianas e portadas abertas depois de o sol desaparecer! Desta forma, aconselhamos a que feche as persianas e as portadas, para não deixar que o calor saia.

Isole os vidros

Como assim? Muito simples. Nas grandes lojas de bricolage, encontra rolos de plástico com bolhas que são, afinal, uma forma eficaz e barata de manter a casa quente porque mantém o calor no interior e impedem o frio de entrar. Apenas precisa de cortar um pedaço de plástico à medida, borrifar o vidro e o plástico, do lado das bolas, com um pouco de água, e colocar com as bolhas viradas para o vidro.

Abuse dos têxteis

No tempo frio, aposte em mantas, almofadas e cobertores quentinhos, que não só o aquecem a si, como deixam a casa mais confortável e acolhedora. Por outro lado, como grande parte do calor é perdida pelo chão, recorra a tapetes ou carpetes, pois garantem um isolamento extra.

Relativamente aos sofás, prefira as versões em tecido em vez de pele, pois a pele é mais fria no inverno. Complete o seu sofá com almofadas e tecidos quentes, como o veludo ou a camurça.

No que toca às cortinas, se tem versões leves, mantenha-as, mas complemente-as com tecidos mais pesados por cima. Desta forma, terá o pacote completo no que toca à ajuda dos têxteis para o aquecimento da casa nos dias mais frios.

Seguir todas as nossas dicas para manter a casa quente pode ajudar, mas é importante que considere investir no isolamento. O ideal seria que avançasse com uma solução de isolamento da fachada (vulgo capoto), do teto ou renovasse as janelas de sua casa, considerando opções como caixilharias em PVC, janelas ou vidros duplos.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“Dicas para manter a casa quente em dias frios”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/manter-a-casa-quente-em-dias-frios/

Como preparar a casa para o outono: torne o seu lar ainda mais acolhedor

Sabe como preparar a casa para o outono? Siga as nossas sugestões e deixe a nova estação entrar a sua casa. Depois é só desfrutar do conforto do lar.

Mesmo que não lhe agrade muito, a verdade é que os dias frios já se fazem sentir, por isso, faz todo o sentido começar a pensar como preparar a casa para o outono.

Isto é, como trazer o calor para dentro de casa em objetos, cores e tecidos bem aconchegantes. Encha a casa de aromas deliciosos que convidam ao conforto e aos dias de chuva e frio, passados no sofá, embrulhado em mantas fofas e com canecas de chá quente em abundância.

Siga as nossas dicas e saiba como preparar a casa para o outono.

Como preparar a casa para o outono: sugestões aconchegantes

Casa de banho

Com a chegada do tempo mais frio, uma das divisões que se torna mais desconfortável é mesmo a casa de banho. Só pensar em tomar banho arrepia e, por isso, é importante contrariar o frio que normalmente carateriza este ambiente.

Investir em tapetes quentes, toalhas fofinhas e, até, numa cabine de duche pode ser uma forma de conseguir climatizar esta divisão, tornando-a mais acolhedora e recetiva a banhos revigorantes (sem pele de galinha)!

Alpendre

A varanda ou o espaço aberto que tiver em sua casa não tem de ser exclusivamente usados nos dias quentes e de sol. Também nas estações frias como o outono ou mesmo o inverno, é possível usar estas áreas, desde que estas sejam devidamente isoladas, protegendo da chuva e do vento, mas deixando a luz entrar.

Crie uma espécie de jardim de inverno e vai ficar surpreendido com as potencialidades que esta divisão pode ter, mesmo durante estas estações mais frias.

Elementos quentes

Para além de verificar se todas as janelas e portas da casa estão devidamente calafetadas, é importante complementar a decoração do seu lar com objetos que funcionem como elementos caloríficos. Referimo-nos a velas, mantas e tapetes em materiais e cores quentes.

No caso das velas, podem ainda ser intensificadas com aromas mais intensos como a baunilha, o chocolate ou a canela. Se tiver uma lareira, então não hesite em usá-la. Não há nada que dê maior sensação de conforto do que este elemento que aquece e ainda cria um ambiente único.

Mantas e almofadas

As mantas são as melhores amigas do outono. Elas ajudam a combater aqueles primeiros serões mais frios, onde ainda não se justifica ligar o aquecedor, mas a temperatura já está ligeiramente mais baixa e, pelo menos os pés ou as pernas, precisam de um conforto extra.

Selecione mantas quentes, que não agarrem muitos pelos e que tenham cores e padrões que se enquadrem na decoração. Assim, não terá de as guardar nem esconder, podendo tê-las facilmente acessíveis, por exemplo sobre o sofá.

Quem fala em sofá e mantas, pensa-se também em alguns cochilos e, por isso, nada melhor do que almofadas à altura para encostar a cabeça e, quem sabe, repousar por uns minutos ou mesmo horas.

Escolha almofadas de tecidos sobretudo macios e suaves para garantir o máximo conforto.

Cozinha

Se no verão, não é muito apetecível ligar o forno e preferimos saladas bem fresquinhas, que nem exigem que se ligue o fogão, a verdade é que no outono começamos a desejar aquela comida confortável, que aconchega o estômago e a alma.

Dê uso ao seu forno, cozinhando pizzas ou assados de carne e peixe. Enquanto isso, prepare as tradicionais compotas de outono, usando os melhores produtos, típicos da época.

Mudança de roupa

A mudança de uma estação quente para uma estação fria implica sempre a substituição da roupa mais fresca pela roupa mais quente.

Esse pode ser um processo feito por partes e não levado a cabo num só dia e deve aproveitar esta tarefa para fazer uma limpeza no seu guarda-roupa, doando as vestes que já não usa e ordenando o armário por cores ou tecidos, de forma a tornar-se mais fácil encontrar a peça que procura.

Tapetes

No outono, os tapetes são especialmente importantes, pois ajudam a combater o frio e dão aquela sensação única de conforto e aconchego aos ambientes. Por essa razão, é importante selecionar tapetes bem fofos e quentes (em malha, flanela ou lã) e distribuí-los por áreas chave como a sala de estar, especialmente a zona próxima do sofá.

Nada como estar sentado a assistir TV, a beber um chá bem quente e com os pezinhos pousados num tapete super suave e macio.

Flores

As plantas e flores não têm de ser um exclusivo da primavera. Há espécies que se adaptam ao clima outonal e podem trazer outra cor e vida ao ambiente de sua casa. Falamos de amores-perfeitos, crisântemos e dálias que podem trazer um conforto e aroma únicos ao seu lar, pontuando de natureza.

Pode também aproveitar para fazer arranjos criativos com as folhas secas da estação, envernizando-as, pintando-as e até emoldurando-as, dando uma graça muito própria ao espaço.

Cores quentes

Quer seja na pintura ou no papel de parede, quer seja nos apontamentos e objetos decorativos, os tons quentes ajudam a tornar os espaços mais aconchegantes.

Castanhos, vermelhos e laranjas estão no topo da lista, mas também o amarelo é presença obrigatória, especial os amarelos torrada e mostarda.

Madeiras

Não há material que combine melhor com o outono do que a madeira. Seja como revestimento da casa, seja no mobiliário, a madeira traz aconchego e tem a grande vantagem de se poder reciclar vezes sem conta, envernizando-a ou pintando-a.

A entrada na nova estação pode ser uma boa altura para recuperar algumas peças que tenha guardadas aí por casa e, com uma leve recuperação, ganhem outra vida e possam dar até um toque vintage à decoração.

Agora que já sabe como preparar a casa para o outono, comece a reciclar materiais e objetos e a ir ao baú buscas as mantas e os edredões guardados. Substitua o que estiver velho, mas aposte essencialmente na reciclagem, pois ela combina em muito com esta nova estação.

Ponha em prática os ensinamentos de como preparar a casa para o outono e dê as boas-vindas a esta belíssima estação.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Como preparar a casa para o outono: torne o seu lar ainda mais acolhedor”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/como-preparar-a-casa-para-o-outono/

12 extras que valorizam a sua casa (e muito)

Conheça 12 extras que valorizam a sua casa e que podem dar um toque fundamental à sua decoração! Curioso? Continue a ler.

Aparentemente pode não parecer, mas a verdade é que estes extras que valorizam a sua casa podem transformar por completo uma divisão ou uma casa inteira. Ou, pelo menos, transmitir todo um ambiente e sentimento de casa completa, que sem eles seria difícil.

Além de tudo, acredite que numa eventual avaliação, estes pormenores fazem com que o valor estimado seja superior. Venha descobrir os 12 indispensáveis!

Os 12 extras que valorizam a sua casa e a tornam bem mais acolhedora

1 Closets

Não é uma grande novidade perceber que os closets são uma verdadeira mais valia e são um dos extras que valorizam a sua casa, sem qualquer dúvida. Quem não gosta de ver a sua roupa e acessórios bem alinhados e organizados, com tudo à vista e por ordem?

Existem diferentes tipos de closets, dos típicos walk in (que, já por si, são verdadeiras divisões), a espaços mais humildes, mas igualmente bem projetados. Seja qual for, um ou mais closets em casa podem ser um bom empurrão na hora de avaliar para cima a sua casa.

2 Alpendre com deck

Se tem uma pequena área exterior lá por casa, saiba que construir o seu próprio alpendre vai tornar a sua casa mais valiosa! Aposte num soalho de deck compósito, uam vez que a durabilidade deste material é excelente e fica muito bem esteticamente, um teto de ripas de madeira (claras ou escuras, escolha o que prefere) e um pequeno conjunto de mobiliário.

Este elemento pode valer-lhe uns bons milhares de euros de valorização. Vale a pena!

3 Piscina

Claro que só em casos específicos é que esta extra é possível. Mas, se por acaso tem um jardim, equacione a possibilidade de instalar uma piscina. Além dos infindáveis momentos de diversão que proporciona, este elemento vai valorizar imenso a sua casa.

4 Varandas

Não é propriamente algo que possa acrescentar à sua casa, mas se vier de raiz é de facto um dos extras que valorizam a sua casa. Na impossibilidade de ter uma moradia e de acabar por optar por um apartamento, procure um que possua pelo menos uma varanda.

Além de super prático para colocar roupa a estender, ter plantas e apanhar algum sol, a verdade é que a varanda valoriza sempre uma casa.

5 Eletrodomésticos em aço inoxidável

Se perder algum tempo a ver um ou outro programa de decoração ou aqueles em que os famosos mostram as suas casas, rapidamente vai perceber que há alguns pontos em comum. Um deles são os eletrodomésticos em aço inoxidável.

Sinal de classe e de luxo, estes eletrodomésticos em tons de cinza vão dar um boost à valorização da sua casa.

6 Aquecimento

É óbvio que uma casa que possua um sistema de aquecimento integrado vai estar mais valorizada do que aquela que ainda tenha de recorrer a ventiladores e aquecedores de mão e portáteis.

Se a sua casa tem um sistema de aquecimento a gás natural, está de parabéns: a sua casa está bem valorizada!

7 Espaços verdes

Sejam 5, 10 ou 50 metros quadrados, o importante é ter algum espaço verde. Hoje em dia, com os níveis de poluição a aumentar, com os apartamentos a encher as cidades e a falta de árvores a ser cada vez mais latente, é muito valorizado o facto de uma casa possuir um pouquinho de ‘pulmão’!

Claro que esta área deve estar devidamente cuidada e tratada. Não vale ter um matagal por tratar e contar que esse espaço conte como um dos extras que valorizam a sua casa.

8 Mármores e pedras a substituir MDF’s

É bastante comum atualmente as casas terem trocado as bancadas de cozinha em mármore e pedra pelo famoso ‘mdf’ revestido ou os móveis de contraplacado substituírem os de madeira maciça.

Claro está que tudo o que for material maciço e verdadeiro vai acabar por valorizar muito mais a sua casa do que compósitos e contraplacados. As bancas da cozinha em pedra ou mármore são um claríssimo exemplo disso.

9 Madeira maciça no soalho

Esqueça os parquets e laminados para o chão. Se procura extras que valorizam a sua casa, invista num material de qualidade e duradouro! Se for o caso de estar numa casa mais antiga e conseguir aproveitar o soalho original, melhor ainda.

10 Aproveitamento de sótão ou cave

Havendo a possibilidade de aproveitar o sótão ou a cave de sua casa, faça-o, para o bem da sua avaliação. Casas com esta característica extra têm por norma uma avaliação bem mais positiva do que outras com as mesmas dimensões, mas sem um aproveitamento do sótão ou cave.

Já para não falar do facto de dar imenso jeito para arrumação, quarto de brinquedos, escritório ou ginásio lá em casa.

11 Boa classificação energética

Uma casa eficiente do ponto de vista energético é sinónimo de uma casa com maior valorização. Isso porque o facto de ter uma boa classificação energética vai significar que a fatura do final do mês vai ficar mais leve.

Janelas duplas, vidros duplos, painéis solares e afins são sempre extras que valorizam a sua casa.

12 Casa com funcionalidades inteligentes

Já ouviu certamente falar em domótica, certo? A tecnologia para tornar as casas inteligentes tem vindo a crescer e é, como é lógico, bem valorizada no mercado.

Uma casa com características e tecnologias inteligentes (estores elétricos, música por comando de voz, aspiração central, entre outros), são sem dúvida extras que valorizam a sua casa.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“12 extras que valorizam a sua casa (e muito)”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/extras-que-valorizam-a-sua-casa/

Tudo o que precisa saber sobre iluminação LED

Amiga do ambiente e longo prazo mais barato, a iluminação LED apresenta inúmeras vantagens. Aprenda mais sobre as lâmpadas LED, como as comprar, instalar e também as suas desvantagens. 

Afinal o que é isso da iluminação LED?

Para começar LED é a sigla de light-emitting diode. Em português seria algo como Díodo Emissor de Luz. A iluminação LED carateriza-se por ser mais barata – a longo prazo; ao mesmo tempo que apresentam uma vida mais longa. Além disso, atualmente é possível comprar vários tipos de lâmpadas LED, de diferentes cores, formas e robustez.

Quais as principais vantagens das lâmpadas LED?

Como referimos anteriormente, a iluminação LED apresenta maior custo benefício a longo prazo, uma vez que as lâmpadas duram mais tempo. Também são mais robustas do que as lâmpadas incandescentes, sendo mais resistente aos choques e quebrando-se com menos facilidade.

Outra vantagem das lâmpadas LED é que se adaptam facilmente a ambientes húmidos e secos, uma vez que podem ser executadas com baixa tensão.

As lâmpadas LED são mesmo amigas do ambiente?

Sim, é verdade. Se optar por usar luzes LED estará a ir por um caminho mais sustentável e amigo do planeta. Isto acontece, porque são lâmpadas recicláveis. Além disso, não emitem raios infravermelhos, nem ultravioleta e o calor produzido é mínimo.

Onde devo usar as luzes LED?

Devido às suas características, encontrará quer opções de iluminação LED de interior, quer lâmpadas LED para exterior. 

Aliás, se está a pensar em apostar numa iluminação LED no exterior, saiba que este tipo de lâmpada se adapta bem a locais húmidos e também debaixo da água. Nesse sentido, são uma excelente opção para usar nas piscinas. No fundo, tudo se resume às necessidades de cada divisão.

O que é isso da temperatura de cor nas lâmpadas LED?

Excelente pergunta! Basicamente, a temperatura da cor ajuda-lhe a escolher e a comprar a lâmpada LED mais apropriada. Isto, porque aconselhamos-lhe a escolher a lâmpada em função de cada espaço. Ora veja:

Lâmpadas mais amarelas: São de luz quente, logo este tipo é ideal para espaços mais íntimos, cujo objetivo seja relaxar, por relaxar

Luz branca fria: Além de darem uma sensação de limpeza, também estimulam a concentração e a leitura. Por essa razão, é muito usada em escritórios e em ambientes de estudo.

De um modo geral, a regra é: quanto mais fria/branca for, mais luminosa e forte é a luz. Na dúvida, faça o teste na loja antes de fazer a compra.

Além da temperatura de cor, que mais devo ter em conta hora de comprar lâmpadas LED?

A popularidade deste tipo de lâmpada, faz com que haja uma grande diversidade e opções. Mas tendo em conta o que custam, não se deixe ir por impulsos! Por isso, na hora de comprar lâmpadas LED tenha em conta os seguintes factores:

POTÊNCIA: Normalmente nas caixas, os fabricantes informam na caixa o quanto irá poupar, comparando os watts das lâmpadas LED com as incandescentes. 

FLUXO LUMINOSO ou LUMEN: Diz respeito à quantidade de luz emitida pela lâmpada a 360 graus. Logo, quanto mais alto o valor, mais luz a lâmpada emite.

TENSÃO: Antes de comprar lâmpadas LED ou investir numa iluminação LED, confira que a instalação é compatível. Isto, porque este tipo de lâmpada existe apenas nas voltagens de 12 V, 110 V, 220 V e bivolt. Se decidir avançar com a instalação LED, procure um eletricista profissional que lhe possa ajudar com a tarefa.

Como tratar de uma instalação LED?

Neste caso, não se trata apenas de ser ou não um trabalho complexo! Como a tecnologia LED é bastante recente, é importante assegurar-se que acabar a contratar mão de obra verdadeiramente especializada.

Além disso, pode levar a instalação das luzes LED a outro nível – quer esteja a pensar em investir em luzes LED no interior ou exterior da casa. Falamos de, por exemplo, encastrar luzes LED no tecto ou até no chão. Outra opção é ainda incorporar o LED nos armários ou espelhos do espaço.

Então, são tudo vantagens?! A iluminação LED não tem desvantagens?

Claro que nem tudo são apenas coisas boas, também o LED tem desvantagens. 

Para começar, lembre-se que a energia LED é ainda uma tecnologia recente, logo ainda existem falhas relacionadas com a qualidade das lâmpadas, prestação de serviço, instalações elétricas sem capacidade, etc.

Além disso, apenas compensam a longo prazo. Isto, porque se comparar com as lâmpadas comuns, aos preços das LED, estas últimas são mais caras. Ainda assim, acredite: a longo prazo acabam por compensar – e muito!

Outro problema diz respeito à qualidade da luz, que ainda pode deixar a desejar. Contudo, siga a dica que lhe demos antes e na hora de comprar lâmpadas LED, tenha sempre em conta a temperatura da luz, assim como as suas necessidades/do espaço.

Como vê, são muitas as opções com a vantagem que acabará poupando a longo prazo e ainda faz escolhas amigas do ambiente.

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“Tudo o que precisa saber sobre iluminação LED”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/tudo-o-que-precisa-saber-sobre-iluminacao-led

Conheça 7 coisas para ter em casa que atraem boas energias

Chega a casa e sente o ambiente pesado? Será que tem objetos que impedem que a energia flua? Estas são 7 coisas para ter em casa que atraem boas energias.

Há diversas coisas para ter em casa que atraem boas energias e, se seguir as nossas dicas, vai perceber que o ambiente em casa fica instantaneamente mais agradável, leve e tranquilo.

Sem nos darmos conta, levamos connosco para casa más energias que vamos absorvendo ao longo do dia, seja no local de trabalho, nos transportes, no supermercado, ou mesmo na rua. Outras vezes, também o nosso dia corre menos bem e carregamos essa energia para casa.

O ambiente em casa parece-lhe estar carregado e parece que as coisas não andam para a frente? Experimente seguir as nossas dicas sobre coisas para ter em casa que atraem boas energias. 

Confira se as pequenas coisas podem fazer a diferença na sua casa e na sua vida.

Coisas para ter em casa que atraem boas energias

1 Flores e plantas naturais

As flores frescas e as plantas naturais são um excelente elemento para afastar as más energias. Traga a natureza para sua casa. Não se preocupe se acha que não sabe que tipo de plantas deve ter em casa e que cuidados exigem porque há plantas para todos os tipos, necessidades e até para as pessoas que não são as melhores jardineiras. É apenas uma questão de se informar e escolher bem.

Entre as plantas naturais não podemos esquecer o bambu, que atrai prosperidade, sucesso e também força pela união dos dois elementos água e madeira. Também o aloé vera é excelente para purificar o ar e transformar as energias negativas em boas energias.

2 Fontes e jardins

A água é vista, em muitas culturas e religiões, como estando diretamente ligada às emoções, pelo que se tem espaço num jardim para colocar uma fonte, não hesite.

Se não tem espaço para um jardim, pode sempre optar por comprar uma fonte portátil que facilmente coloca num espaço no interior da casa que queira mais tranquilo, ou então criar o seu próprio jardim interior.

Ainda em relação ao jardim, pode sempre criar um jardim zen que ajuda a relaxar.

3 Velas brancas

As velas brancas ficam muito bem na decoração da casa e, para além disso, são uma das coisas para ter em casa que atraem boas energias. Assim, se gosta de velas em casa, opte sempre pelo branco que é a cor da luz.

4 Luz natural

E por falar em luz, nada como uma boa quantidade de luz natural para transformar energias negativas em boas energias. Se tem janelas, abra-as e corra as cortinas e estores.

Deixe a luz entrar e a casa arejar. Permita que a sua casa respire, renove o ar e deixe que a energia má se transforme.

5 Sal grosso

O sal é conhecido pelas suas características de absorção de más energias. Coloque um pouco de sal grosso num copo com água e ponha em todas as divisões onde sente que precisa de renovar energias.

As más energias são absorvidas pelo sal e ficará surpreendido com a sujidade que pode aparecer na água. No dia seguinte, deite o conteúdo do copo na sanita e faça uma descarga. Renove o copo com água e sal.

6 Cristais

Estes objetos são conhecidos por atraírem boas energias, pelo que entram nesta lista de coisas para ter em casa. Cristais como a selenita ou mesmo candeeiros de sal, que pode encontrar em lojas esotéricas, são excelentes aliados na absorção das más energias.

De quando em quando coloque a selenita à janela um dia e uma noite para a energizar, recebendo boas energias do sol e da lua.

7 Limpar e destralhar

Não é um objeto, mas faz parte da lista de coisas para ter em casa que atraem energias, uma vez que é um passo essencial para a organização da mente (e da casa em si).

Limpar a casa e eliminar tudo aquilo de que não precisa ou que está estragado ou partido, mas nem por isso deitou fora, é fundamental para que as boas energias fluam. Ter apenas as peças de mobiliário necessárias também é importante para que a casa não esteja cheia de coisas.

A organização da casa significa, também, a organização da sua mente e, estando tudo no seu lugar, é mais fácil estar bem. Daí a importância da limpeza de tudo o que não é essencial.

Siga estas dicas simples e confirme se a sua casa não parece mais leve. Lembre-se que a sua casa é o seu espaço, onde chega depois de dias cheios de trabalho e agitados, devendo ser, por isso, o sítio ideal para descansar e relaxar.

Ou seja, escolha algumas destas coisas para ter em casa que atraem boas energias e sinta-se ainda melhor no conforto da sua casa.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“Conheça 7 coisas para ter em casa que atraem boas energias”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/coisas-para-ter-em-casa-que-atraem-boas-energias/

11 erros de decoração da casa que deve conhecer (e evitar)

Sabemos que não é por mal, mas existem alguns erros de decoração da casa mais comuns que deve mesmo evitar, para que a divisão fique como pretende.

Seja por inexperiência, desconhecimento ou simplesmente porque o “bichinho da decoração” não nasceu connosco, existem alguns erros de decoração da casa mais comuns que devemos evitar a todo o custo e que vão ter grande impacto no ambiente final do nosso lar.

Erros de decoração da casa: os mais comuns

  1. Não planear

Alerta vermelho, vermelho, vermelho! Não adianta querer implementar um determinado tipo de decoração simplesmente porque viu algures e gostou. É necessário todo um trabalho de planeamento de investigação para verificar se no caso específico da sua casa vai ficar bem.

Comprar objetos aleatoriamente para colocar na casa, 99% das vezes não resulta bem e é, por isso, outro dos erros de decoração da casa mais comuns e que deve evitar.

2. Não medir

Quem nunca cometeu este erro que ponha a mão no ar. Viu uma promoção espetacular de um móvel que adorou e o seu instinto foi aproveitar de imediato essa redução.

Eis que quando chega a casa, essa peça não cabe onde a tinha pensado colocar. Sabe porque é que isto acontece? Porque cometeu outro dos erros de decoração da casa mais comuns: não tirou previamente as medidas.

Nota mental: este passo é indispensável! E deve medir não só o espaço como ter em conta cantos, relevos de rodapés e afins. Por vezes, bastam 2 centímetros de diferença para que a peça já não caiba.

3. Objetos e mobiliário com falta de dedicação

Não maltrate os seus itens de casa! Este é sem dúvida um dos grandes erros de decoração da casa mais comuns. Se há coisa que afeta o feng shui dos espaços e mesmo o estado de espírito é chegar a uma casa com mobiliário maltratado.

Uma coisa é o desgaste natural das coisas, outra são sinais bem visíveis de uma gestão irresponsável e desleixada. Trate das suas coisas como trata de si, só isso já vai melhorar muito o resultado final!

4. Não seguir uma linha de decoração

Sim, é verdade que pode (e deve) misturar mais do que um estilo decorativo. O problema é que as pessoas acabam por fazê-lo de forma ad hoc e não pode ser assim. É necessário ter alguns conhecimentos do que liga bem com o quê e o que funciona no espaço a decorar.

Na dúvida, peça a opinião de um especialista! Caso contrário, pode cair no erro de ter uma casa “poluída”.

5. Má escolha das cores

Especialistas no tema referem que:  “ambientes decorados com cores neutras podem ser elegantes, mas, se não houver uma boa composição, podem também deixar os ambientes muito monótonos. O contrário também é válido, ambientes com muita informação de cores tornam-se carregados e não convidativos à permanência”.

É por isso que esta questão é absolutamente fulcral na decoração de uma casa e não deve ser escolhida com leveza.

Faça testes de cor, informe-se com especialistas, peça amostras e só depois de tudo isto deve partir para a pintura propriamente dita. Acredite que vale a pena, para depois não se fartar rapidamente do que tem ou sequer para se arrepender.

6. Itens a mais

Não compre por impulso! Este é um erro de decoração da casa mais comuns e que deve evitar a todo o custo. Uma casa cheia de quinquilharia, de objetos que nem conseguem respirar não vai resultar, nem vai conseguir transmitir o ambiente que pretende com tanta coisa lá dentro.

Mesmo que tenha peças de qualidade nem vão sobressair com tanto para gerir e expor.

7. Esquecer da iluminação

A iluminação é fundamental para o efeito final da decoração, até porque tem o poder de valorizar ou prejudicar o seu ambiente ou anulá-lo.

Pense sempre muito bem na iluminação correta para cada ambiente. Tipo de candeeiro, intensidade da luz, altura do mesmo, tudo. Considere todos os pormenores.

8. Excesso de furos na parede

Tenha cuidado com as suas paredes. É muito comum ir furando as paredes para pendurar quadros ou enfeites e depois retirar. O que acontece é que a parede vai ficando cheia de pequenos buracos e de marcas feias que se notam a olho nu.

Para si pode até passar despercebido, por estar habituado, mas acredite que quando se entra numa casa pela primeira vez ou poucas vezes, esses pormenores saltam logo à vista, e podem ser a “morte do artista”.

Evite fazer muitos furos e, se fizer um indevido, trate de o tapar de seguida e de tratar da parede.

9. Ser descuidado com as plantas

Outro dos grandes erros de decoração da casa mais comuns: ter plantas só porque sim e não ter nenhum cuidado com as mesmas. Para isso é preferível ter plantas artificiais! As plantas naturais exigem cuidado, tempo, dedicação e sim, carinho!

No limite, escolha plantas que exijam o mínio dos cuidados (mas terá sempre de ter algum). Caso contrário, entre uma planta infeliz e maltratada e nada, é preferível optar por outro objeto.

10. Ambientes desorganizados

Não deixe as coisas fora do lugar! Depois de usar, volte a arrumar: este deve ser o lema!

Ter tudo desorganizado vai arruinar toda a decoração de sua casa, além de afetar o seu estado de espírito e mandar embora a vontade de estar em casa e usufruir do espaço.

Além disso, incentive a participação de todos nas tarefas de organização e arrumação.

11. Não garantir espaço de circulação

Esta dica é fundamental! Garanta que entre a disposição dos móveis e itens de decoração lá em casa fica sempre uma margem, margem essa confortável, para a passagem das pessoas. Não vai querer que a sua casa pareça um cubículo desorganizado e sem qualquer graça, pois não?

Até pode ter a sorte de ter divisões bem grandes, mas se o espaço estiver mal distribuído e sem áreas limpas de passagem, vai, garantidamente, parecer bem mais pequeno.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“11 erros de decoração da casa que deve conhecer (e evitar)”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/erros-de-decoracao-casa/

Prevenir incêndios domésticos: o guia de segurança para todas as casas

Ter uma casa segura passa também por saber como prevenir incêndios domésticos e preparar-se para saber o que fazer caso aconteça.

Os incêndios domésticos são mais comuns do que imagina e, por muito cuidado que tenha, é algo que pode, realmente, acontecer a qualquer momento. Saber como prevenir e manter a sua casa o mais segura possível, bem como o que fazer no caso de alguma inevitabilidade podem ditar a diferença entre um contratempo e uma catástrofe.

Não pense que é algo que apenas acontece aos outros: são inúmeras as situações capazes de provocar incêndios domésticos sem que estejamos minimamente a contar. Falamos de descargas elétricas, sobrecarga nas instalações, distrações e até falhas humanas.  

Dicas de segurança para prevenir incêndios domésticos

É algo que de que ninguém está livre, pois os acidentes acontecem mesmo. Cabe a cada um de nós minimizar a probabilidade de tal acontecer e saber o que fazer mediante os diferentes infortúnios, como é o caso dos incêndios domésticos.

Tome nota de todas as medidas preventivas.

Sistemas de segurança

Primordial é a instalação de um sistema de segurança contra incêndios, que emita um alerta em caso de fumo. Se tal não for possível, por uma questão de orçamento, então, há algo mais acessível e que é imprescindível em qualquer casa: um extintor de incêndios.

Certifique-se, contudo, de que sabe utilizar e de que procede à respetiva manutenção anual.

Eletrodomésticos e equipamentos

A primeira coisa a ter em conta é que os sistemas de gás, de eletricidade e de ar condicionado precisam de inspirações periódicas para ter a certeza de que tudo funciona bem. Caso contrário, poderá ter em casa um problema invisível e, quando der por ele, poderá ser tarde demais.

Se em algum momento sentir o cheiro a gás, feche de imediato as válvulas de segurança, abra as portas e janelas e saia de casa. Não ligue nenhum aparelho nem faça qualquer tipo de faísca ou chama. Em seguida, solicite ajuda de empresa especializada, para se certificar que não existe nenhuma fuga.

Também não deve deixar o fogão ligado sem vigilância, a não ser que seja por curtos períodos. Ainda no que diz respeito a este tipo de aparelhos, é extremamente importante mantê-los sempre limpos, caso contrário, a acumulação de gordura poderá ser a ignição perfeita para um incêndio doméstico.

Deve também mudar periodicamente o filtro de exaustor e nunca ligue o micro-ondas vazio, nem coloque no seu interior papel de alumínio ou recipientes de metal.

Especial cuidado a ter também com as extensões elétricas, pois podem estar sobrecarregas e isso levar a um curto-circuito. Como tal, aposte na compra de extensões de alta qualidade e com potência suficiente para as suas necessidades.

Quando aos equipamentos de aquecimento, os conselhos relacionam-se com o local onde os posiciona, bem como o uso que lhes faz. Assim, deve colocá-los em superfícies planas e nunca em locais onde possam cair com facilidade. Além disso, devem ficar distanciados a pelo menos um metro de materiais potencialmente inflamáveis e não podem ser cobertos ou minimamente tapados com peças de roupa, por muito jeito que dê para acelerar o processo de secagem.

Se costuma acender velas, deve, igualmente, respeitar o distanciamento de um metro de materiais inflamáveis, bem como posicioná-las em local seguro e não se esqueça de algo muito importante: sempre que sair de casa apague todas as velas.

Quanto às lareiras, deve também respeitar as regras de limpeza e segurança das mesmas, efetuando inspeções periódicas e limpezas anuais.

Armazenamento de materiais

Os produtos inflamáveis devem ser armazenados longe das fontes de calor e em locais ventilados. O mesmo com as botijas de gás, que devem ser mantidas, preferencialmente em locais exteriores e longe de fontes de calor.

Família

Pode estranhar este ponto e pensar de que forma a família está envolvida nos incêndios domésticos? Como referimos, um dos motivos para os mesmos é o fator humano, seja pela distração, seja pelo uso incorreto de materiais e equipamentos, pelo que, em primeiro lugar, deve ser todas as regras de utilização.

Em segundo, se tiver crianças em casa, então, tenha especial cuidado e mantenha-as longe de fontes de ignição. Os mais novos podem até ajudar a cozinhar, mas é importante que fiquem longe das chamas do fogão, dos cabos de panelas, dos isqueiros, fósforos e outros produtos inflamáveis.

Também os animais de estimação merecem atenção, principalmente se forem mais irrequietos e houver a tendência para roer cabos elétricos quando deixados sem supervisão. Se um animal urinar sobre um objeto elétrico, isso também pode dar origem a um curto-circuito.

Incêndios domésticos: cuidados gerais da casa

São dicas que todos conhecimentos, mas que nunca é demais relembrar:

  • Faça uma limpeza anual ao telhado de casa, retirando objetos, como folhas secas e erva, que poderão dar origem a incêndios;
  • Destralhe a sua casa de materiais inflamáveis como papel, plásticas, madeira ou até tintas. Se precisar mesmo desses materiais, então, armazene-os de forma segura;
  • Pondere usar revestimentos anti-incêndio, que são conhecidos pela baixa condutibilidade térmica e pela boa capacidade de isolamento, tornando os ambientes mais seguros;
  • Em tempos de pandemia, nunca se usou tanto álcool, álcool-gel ou desinfetante como atualmente, pelo que deve ter cuidado com os locais onde os guarda, visto que têm capacidade inflamatória.

Como escolher o extintor de incêndio adequado

Existem diferentes tipos de extintores e a sua seleção deve ser efetuada tendo por base o risco a proteger.

Extintores de classe A

Devem ser usados em locais com possibilidade de ocorrência de fogos com origem em materiais sólidos, de natureza geralmente orgânica, como por exemplo madeira, papel, carvão ou têxteis. Pode optar por extintores à base de água, espuma, pó químico seco ABC ou de hidrofluorocarbonetos (HFC’s).

Extintores de classe B

Usado para combater fogos em combustíveis líquidos. Pode optar por extintores de espuma, de água com aditivo, de pó químico seco BC ou ABC, de dióxido de carbono ou de hidrofluorocarbonetos (HFC’s).

Extintores de classe C

Para usar em fogos que tenham origem em gases combustíveis. Pode optar por extintores de pó químico seco do tipo BC ou ABC ou de hidrofluorocarbonetos (HFC’s).

Extintores de classe D

Deve escolher este tipo de extintor para combater fogos que envolvam metais leves como por exemplo o sódio, o potássio, o alumínio, o magnésio ou o lítio. Pode optar por extintores de pó químico D.

Extintores de classe F

Ideal para combater fogos que envolvam produtos para cozinhar, como óleos e gorduras vegetais ou animais. Pode usar extintores de incêndio que tenham como agente extintor o agente químico húmido, uma solução de água e acetato de potássio.

Como utilizar o extintor?

De nada adianta ter o extintor certo se na hora H não o souber utilizar. Além disso, saiba que a carga existente nos mesmo é limitada e esgota-se mais rapidamente do que imagina, pelo que deve fazer um uso adequado:

  1. Retirar a cavilha de segurança do extintor;
  2. Apontar o jato à base do fogo;
  3. Premir o manípulo de descarga em direção à base do fogo e manter até que seja extinto por completo.

Em caso de incêndio doméstico, o que fazer?

Reagir de forma calma, tranquila, mas rápida é o truque para tentar resolver o problema rapidamente. A prioridade é assegurar-se de que ninguém corre perigo e tentar apagar o foco de incêndio, com segurança: utilizando panos ou mantas molhadas, atirando um balde de água ou usando um extintor se tiver um por perto.

Se conseguir, desligue a eletricidade da residência, feche a válvula de segurança do gás e afaste todos os materiais inflamáveis e combustíveis que estejam mais próximos do fogo.

Caso seja um incêndio de maiores dimensões ou que se descontrole rapidamente, saia de casa e chame os bombeiros.

Se permanecer algum tempo dentro de casa com o incêndio a deflagrar deve proteger o nariz, boca e olhos e se tiver a infelicidade de ser atingido pelo fogo, deite-se e role sobre si mesmo tentando apagar as chamas.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“Prevenir incêndios domésticos: o guia de segurança para todas as casas”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/incendios-domesticos/

Como reduzir a humidade em casa? 7 dicas e conselhos práticos

Com o tempo de chuva, surge a preocupação e a necessidade de saber como reduzir a humidade em casa. Partilhamos dicas para o conseguir.

Paredes e tetos com manchas, um ligeiro odor a mofo, objetos ressoados e, consequentemente, a probabilidade de desenvolver algum problema de saúde. Todos estes problemas podem ser reduzidos drasticamente se souber exatamente como reduzir a humidade em casa.

Com mais ou menos investimento, mais ou menos trabalho, mais ou menos tempo dedicado à tarefa, saiba que praticamente todas as casas ‘têm salvação’!

Quais os tipos de humidade existentes?

Antes de saber as dicas mais práticas de como reduzir a humidade em casa, é importante saber identificar a causa, isto é, de onde vem a dita humidade. Geralmente ela pode ter quatro causas: infiltrada, de condensação, de canalização ou ainda ascendente. Conheça-as em pormenor.

Humidade infiltrada (chuva)

Este tipo de humidade surge através do aparecimento de manchas amarelas na parede e deve-se à infiltração de água da chuva. Se o problema não for tratado, a mancha acaba por escurecer e ganha bolor.

Após chuvas intensas piora e melhora no tempo mais quente. Este tipo de humidade é normalmente resolvido com técnicas de isolamento com material impermeável.

Humidade de condensação

O caso da humidade de condensação é diferente. Caracteriza-se por apresentar manchas de humidade com aspeto irregular nas paredes ou no teto, e aloja-se sobretudo nos cantos. Por vezes surgem bolores e cheiro a bafio e é mais frequente no inverno.

A grande solução para esta tipologia tem a ver com a ventilação e arejamento da casa, assim como o facto de evitar secar roupa no interior das divisões.

Fugas na canalização

Quando a humidade surge por causa de fugas na canalização, começam a aparecer manchas húmidas permanentes e possivelmente bolor junto às canalizações e a aparelhos sanitários.

A solução passa por localizar a fuga e reparar a canalização e a parede danificada.

Humidade ascendente

Finalmente, a humidade ascendente tem como principal manifestação o aparecimento de manchas que sobem a partir do chão. No exterior da habitação, pode ocorrer a formação de salitre ou musgo e no interior podem aparecer bolores ou fissuras.

Para tratar este tipo de humidade será necessário introduzir materiais impermeáveis, ou seja, realizar obras de reabilitação das paredes ou até mesmo injetar substâncias hidrófugas nas paredes.

7 Conselhos práticos para que saiba como reduzir a humidade em casa

Sabia que o nível de humidade ideal deve situar-se entre 40 a 55%? No entanto, fatores como uma construção deficiente, aquecimento excessivo, humidade ambiental muito elevada ou até mesmo danos estruturais em paredes ou telhados, fazem com que estes valores fiquem fora do normal o que pode acarretar problemas para a saúde.

Mas, nem tudo é um bicho de sete cabeças. Com estas dicas vai conseguir ter as coisas sob controlo:

  • 1. Aplique um bom isolamento

Uma forma que ajuda a responder à questão de como reduzir a humidade em casa é mesmo apostar num bom isolamento. O isolamento é essencial para evitar que a humidade do exterior entre em casa, além de evitar a perda de ar seco e quente do ar condicionado ou do aquecimento.

São vários os materiais de isolamento disponíveis atualmente e alguns podem, inclusivamente, ser instalados por fora das paredes.

  • 2. Deixe o ar entrar!

Uma ventilação adequada é outro dos passos absolutamente essenciais para controlar o excesso de humidade em sua casa. A ventilação pode ser natural (através de portas e janelas) ou forçada (ventiladores, extratores e exaustores).

Nas zonas onde a produção de humidade é maior (casa de banho e cozinha), a ventilação deve ser especialmente reforçada para poder retirar a maior parte do vapor de água produzido. Se em sua casa verifica a existência de gotas a escorrer é sinal de que deve investir num extrator ou num sistema de exaustão!

  • 3. Atenção às plantas que escolhe para casa

Sabia que há plantas que podem aumentar o nível de humidade de sua casa? Algumas espécies libertam vapor de água na sua respiração o que pode ser contraproducente numa casa onde a humidade em excesso já é um problema.

Antes de comprar uma planta, informe-se com o vendedor especialista e previna-se.

  • 4. Sensores de humidade

Uma das formas de saber como reduzir a humidade em casa passo por, claro está, identificar essa humidade. Há vários tipos de sensores de humidade que podem até ser integrados no sistema de ventilação e com o desumificador.

Assim, quando detetar um nível acima do desejado, ativa imediatamente os sistemas de ventilação e exaustão.

  • 5. Procure soluções naturais

Todos sabemos do senso comum, mas a verdade é que é assim mesmo: as soluções naturais são as melhores e as mais eficazes quando se trata de reduzir a humidade! Abra as janelas diariamente, deixe entrar o sol em sua casa e livre-se de excesso de humidade e até de bactérias!

  • 6. Desumificadores

Nas divisões da casa com tendência a ganhar mais humidade, utilize desumidificadores. Com a ajuda destes aparelhos, mesmo nas divisões onde há uma maior condensação, irá não só reduzir os níveis de humidade em casa, como também tornar o ambiente mais agradável.

  • 7. Seque a roupa no exterior

Bem sabemos que não é fácil, chegado o mau tempo, secar a roupa no exterior. No entanto, secar a roupa no interior da casa aumenta os níveis de humidade em casa – este é, aliás, realmente um dos grandes fatores responsáveis pela condensação de água lá por casa.

Experimente secar a roupa o máximo possível no exterior e, depois, colocá-la por alguns minutos apenas na máquina de secar para perder aquela sensação desagradável de frio.

Agora que já sabe algumas dicas de como reduzir a humidade em casa, diga adeus às manchas e bolor e ponha mãos à obra.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“Como reduzir a humidade em casa? 7 dicas e conselhos práticos”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/como-reduzir-a-humidade-em-casa/