Tendências de decoração de cozinhas para 2021

Materiais como o mármore e o granito continuam em alta na decoração destes ambientes, porque são duráveis, resistentes e fáceis de manter.

A cozinha é uma daquelas divisões que mais foi alterando o seu papel numa casa ao longo do tempo. Se antes servia apenas para cozinhar, agora é um dos centros de tudo, onde se fazem algumas refeições e se recebem os amigos, enquanto preparamos uma saborosa refeição. Se vai remodelar a tua este ano, ou se apenas gosta de estar por dentro do mundo da decoração, deixamos-te aqui algumas das tendências para 2021.

Uso de cores e materiais intemporais

Apesar de as cozinhas estarem mais modernas, prezando as linhas mais simples e os armários mais funcionais e menos elaborados, a verdade é que as tendências estão sempre a mudar, e a cozinha não é daquelas divisões que se estejam sempre a remodelar. Por isso, a aposta este ano passa muito por ambientes de linhas modernas, em cores e materiais clássicos e que trazem sempre elegância à cozinha, quer seja hoje, quer seja daqui a dez anos. Materiais como o mármore e o granito continuam em alta na decoração destes ambientes, porque são duráveis, resistentes e fáceis de manter. Nas cores, o branco, o bege e o preto ainda são as mais utilizadas, porque são as que permitem maiores liberdades na decoração, seja qual for a altura.

Aproveitamento do espaço

Longe vão os tempos em que se deixavam espaços mortos em casa. A criação de soluções de arrumação em recantos menos aproveitados da cozinha permite tirar o máximo partido da divisão, criando-se mais espaço de arrumação (ou até mesmo uma despensa). Uma das grandes tendências deste ano é precisamente essa: olhar para as cozinhas como um espaço que deve estar perfeitamente integrado na divisão e ser o mais funcional possível, e criando-se soluções à medida para a família. Nesse sentido, aproveitar os espaços ao máximo torna-se fundamental; por vezes, até a adição de umas prateleiras num recanto pode fazer a diferença na decoração e no dia a dia da família.

Iluminação bem pensada

A decoração pensa também na forma como a iluminação artificial pode potenciar um ambiente e torná-lo mais prático. Se antes apenas se colocava iluminação geral numa cozinha, sem muito cuidado sobre o sítio onde a luz incidiria, hoje a iluminação é bem planeada e pensada, antes de se escolherem os candeeiros e focos de luz. Assim, para além da iluminação geral, aposta-se muito na iluminação pontual, com candeeiros a darem destaque à ilha de cozinha (que atua muitas vezes como zona de refeições), iluminação embutida em armários para tornar a preparação de alimentos mais fácil à noite, e até a instalação de trilhos de luz para realçar certos objetos decorativos, como quadros.

Apostar numa ilha de cozinha

As ilhas de cozinha têm sido um grande destaque ao longo dos últimos anos, mas em 2021, essa aposta vai ainda mais longe. Não se pretende ter apenas um espaço de arrumação extra; a ideia é que as ilhas de cozinha funcionem como um elemento agregador da família e de eventuais convidados, e por isso, tornaram-se um dos grandes destaques da divisão. O uso de uma cor ou material de destaque nas ilhas está-se a tornar cada vez mais comum, bem como iluminação específica para aquela zona. Por isso, ilhas de cozinha em mármore, com um tampo diferente da restante bancada ou até com armários noutra cor são cada vez mais utilizados. Tudo para que o destaque visual seja para a ilha, que irá servir de complemento aos armários e restante decoração do espaço.

Estilo industrial

O estilo industrial está a entrar em força nas nossas casas, e a cozinha não é exceção. A aposta em bancadas de aço inoxidável, instalação elétrica à vista, paredes em tijolo e piso em cimento queimado. O cimento queimado é também cada vez mais utilizado em bancadas de cozinha. Mas não precisas de fazer uma remodelação completa para aderir a esta tendência. Pequenos retoques, como um candeeiro de linhas mais industriais, ou o uso de cores como o cinzento e o preto podem ajudar a dar alguns toques deste estilo na tua cozinha. Se gostas do aspeto visual do cimento queimado, sabe que este pode ser aplicado por cima do piso que já tens, é muito resistente, fácil de limpar e duradouro. Por isso, podes apostar neste material para uma cozinha industrial e ao mesmo tempo intemporal.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Tendências de decoração de cozinhas para 2021″. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/decoracao/conselhos/2021/02/18/46234-tendencias-de-decoracao-de-cozinhas-para-2021

Encontrar a casa ideal: 10 dicas para a conseguir

Como encontrar a casa ideal? Depende sempre do que anda à procura. No entanto, há pelo menos dez coisas que deve ter em conta.

Se está à espera que chegue o momento certo para encontrar a casa ideal, fique já a saber que esse dia não vai acontecer. É impossível prever o futuro e as flutuações do mercado e, se continuar sempre à espera, pode perder boas oportunidades e acabar de coração partido.

Não existe o tempo certo para fazer as coisas que queremos. Por isso, a melhor altura para comprar casa é quando encontrar a casa ideal para si e para a sua família. Vamos dar-lhe uma ajuda para perceber exatamente qual é com uma lista de 10 dicas para identificar facilmente a casa dos seus sonhos.

10 dicas para encontrar a casa ideal para si

1. Defina prioridades

Antes de começar a ver casas, defina aquilo que, para si e para a sua família, é fundamental numa casa. Será uma cozinha grande, lareira, muita luz, perto de transportes, chão de madeira, uma grande sala ou quartos enormes? Sem qualquer censura, coloque tudo na sua lista e depois reduza-a aos cinco essenciais. Leve esta lista sempre consigo!

2. Registe tudo

A determinada altura, quando já viu várias casas, perde noção de qual tem o quê, por isso, tenha um registo. Faça uma tabela ou uma checklist, na qual indica aquilo que a sua casa ideal deve ter (jardim, número de quartos, cozinha equipada, aquecimento, etc.) e, à medida que as visita, assinale quais são os requisitos cumpridos. Na hora de tomar a decisão, este registo vai ajudar.

3. Leve bloco e fita métrica

Não, não é cedo para começar a tirar medidas. Lembre-se que comprar uma casa é um grande investimento e pode não querer somar a esta quantia o montante para decorar de novo a sala, os quartos, o escritório e/ou a cozinha. Se já tem todo o mobiliário que precisa leve as medidas dos seus móveis e confirme se cabem.

4. Peça para tirar fotos

Mesmo quando se apaixona perdidamente por uma casa, é possível que acabe por esquecer alguns detalhes. Peça para tirar fotografias ou mesmo para fazer um vídeo para que, no momento da decisão, a sua memória não lhe falhe!

5. Veja tudo com detalhe

Não tenha pudor de analisar cada gaveta, armário, janela, teto, levantar tapetes e arrastar móveis. Veja, reveja, teste e volte a testar. Esta é, provavelmente, a maior compra da sua vida e não é uma decisão que quer tomar de ânimo leve. Por isso, tem de saber tudo sobre tudo. Abuse das perguntas, faça as visitas que entender necessárias e demore-se para ter a certeza que encontrou a sua casa ideal.

6. Visite a casa em horários diferentes

Procure visitar a casa em diferentes horários para perceber, não só as diferenças no interior, como também no exterior. Como é a rua à noite, sente-se confortável e seguro ou nota um ambiente estranho? De manhã, é muito barulhenta? É movimentada, tem muitas crianças e famílias? É tranquila ou um deserto? Lembre-se que é nesse local que vai viver.

7. Quantos anos pode viver aqui?

Um dos erros mais comuns dos compradores é adquirir uma casa que hoje cumpre as suas necessidades sem, no entanto, avaliar o futuro. Mais tarde, quando, por exemplo, tiver filhos, pode já não ser suficiente para toda a família. Se não tem orçamento para uma casa maior, considere alugar durante mais alguns anos ou procure habitação numa zona mais barata.

8. Avalie as distâncias

Quanto tempo vai demorar nas viagens de casa para o trabalho, de casa para a escola das crianças ou de casa para a casa dos seus pais? Com que frequência faz estas viagens? O dinheiro que vai poupar na compra da casa, será que não o vai gastar em tempo e combustível? Isto são tudo questões que devem ser analisadas no momento da decisão.

9. Confirme os dados

Não deixe de pedir todos os documentos do imóvel ao vendedor para que possa confirmar todos os dados nas finanças e no cartório do registo predial. Este pequeno cuidado pode evitar-lhe muitos problemas futuros. Com as dificuldades dos últimos anos, pode estar a comprar, sem saber, uma casa já penhorada pelo Banco ou pelo Estado.

10. Faça bem as contas

Pondere bem se o seu orçamento suporta o investimento. A casa ideal é aquela que não coloca em risco a sua subsistência. O valor do pagamento do empréstimo não deve ser superior a 20% do valor do seu orçamento mensal. E se já tem outros empréstimos, o valor total dos pagamentos mensais das dívidas (casa, carro, etc.) não pode ultrapassar os 20%, ou no máximo, 30%.

Como encontrar a casa ideal ainda mais rápido

Se quer encontrar a casa ideal e já decidiu iniciar a procura para que aconteça o mais rápido possível, comece logo nas primeiras buscas a afinar a sua pesquisa. Se precisa de três quartos, não vive sem elevador, tem de ter garagem, lareira e vista de mar, o melhor é definir todas estas características logo à partida.

Existem várias imobiliárias a que pode recorrer para o ajudar nesta procura, mas também vários portais online que o podem ajudar a descobrir a sua nova casa sem ter de sair do sofá. Existem vários e permitem fazer pesquisas exaustivas, visto que os critérios de pesquisa são muito alargados e os filtros são precisos.

Pode definir todas as características essenciais da casa dos seus sonhos, como a tipologia, a certificação energética, a condição (novo, usado, para recuperar, em construção), se tem aquecimento central, varanda, mobiliário, som ambiente, vista de mar, de campo ou de rio e, até, árvores de fruto.

É ainda possível escolher entre anúncios particulares, de imobiliárias, negociáveis ou permutas, entre muitas outras opções. Com a ajuda de todos estes filtros, obterá os resultados exatos do que existe disponível no mercado. E, assim, para além de poupar tempo e desilusões, estará mais perto de encontrar a casa ideal.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“Encontrar a casa ideal: 10 dicas para a conseguir”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/dicas-para-encontrar-a-casa-ideal/

O melhor tipo de tinta para cada divisão da casa

Saber qual é o melhor tipo de tinta para cada divisão da casa é essencial e vai muito além da cor. A escolha certa do tipo de tinta pode-lhe poupar várias dores de cabeça, quer em trabalhos de manutenção futuros, quer na durabilidade e protecção do espaço. Neste artigo, vamos de divisão em divisão e dizemos-lhe qual o melhor tipo de tinta para a casa, tendo em conta estes 5 factores:

  • Rendimento
  • Poder de cobertura
  • Resistência à lavagem
  • Tempo de secagem
  • Durabilidade

Melhor tipo de tinta para o hall de entrada

Mais do que a porta e o cartão de visita da sua casa, o hall é a porta por onde tudo entra, desde os sapatos sujos, aos guarda-chuvas molhados, às patas do cão cheias de terra, … Logo – e apesar de ser uma pintura de interior – é importante escolher para a entrada uma tinta que seja resistente.

A nossa dica é que opte pelas tintas acrílicas, sendo que pode escolher entre os acabamentos:

  • Fosco: Apesar de menos resistente à limpeza, disfarça bem as imperfeições
  • Acetinada: Apresenta um brilho discreto 
  • Semibrilhante: É muito brilhante. Por isso, antes de pintar a parede, esta tem de estar impecável e sem qualquer imperfeição. Caso contrário, este tipo de tinta acabará por as deixar em evidência

Solúvel em água, as tintas acrílicas podem ser usadas em camadas finas e grossas. Fáceis de aplicar, secam rapidamente e têm um cheiro pouco intenso. Além disso, são muito fáceis de limpar: só precisa de usar um sabão neutro!

Melhor tipo de tinta para a sala

Também aqui lhe recomendamos o uso de tintas acrílicas. Aproveite o facto de existirem tintas de diversas cores para dar o ambiente que procura à sua sala, tornando-a num espaço aconchegante, mas também ideal para receber as visitas. 

E já agora, por que não? conjugar diferentes cores, criando uma parede de destaque ou até recorrer ao papel de parede ou à decoração do tecto? Além disso, não se esqueça que pintar a sala se resume às paredes! Estenda a sua criatividade aos tetos, ao chão da sala e até à pintura de móveis!

Melhor tipo de tinta para a cozinha

Como deve imaginar, de todas as divisões da casa, a cozinha é a que mais apresenta desafios na hora de escolher o tipo de tinta. Por um lado, porque há uma diversidade de materiais na cozinha (tampos de madeira, bancas de mármore, etc.); depois, porque devido à sua funcionalidade precisa de algo resistente (também aos cheiros), fácil de higienizar e que lhe permita remover as gorduras facilmente. 

Assim sendo, aconselhamos-lhe a optar pela tinta epóxi. Este tipo de tinta foi criada especialmente para cobrir superfícies, como pisos e azulejos. Bastante resistente, a tinta epóxi pode ser lavada facilmente e tolera bem o uso de produtos químicos. Por esta razão, esta é das tintas mais usadas para pintar cozinhas e casas de banho.

Melhor tipo de tinta para a casa de banho

Devido à humidade, a casa de banho é uma divisão propícia para o aparecimento de fungos e de manchas de humidade. Logo, é importante prevenir. Isso significa investir numa tinta mais potente e resistente, como a epóxi. Não se esqueça que o barato sai caro. Por vezes, vale a pena gastar um pouco mais para poupar a longo prazo!

A nossa dica é que para pintar a casa de banho, opte por tintas antifungos e antihumidade. Hoje em dia tem inclusive opções de tintas em acetinado e mate, que são facilmente laváveis e funcionam bem no combate aos fungos e ao bolor na casa de banho.

Melhor tipo de tinta para o quarto

Para pintar o quarto, pode optar por tintas látex. Fáceis de aplicar, este tipo de tinta funciona bem em paredes interiores, pois não estão expostas a agressões do exterior. 

Contudo, se tiver imperfeições na parede, não use tintas brilhantes. Caso contrário, em vez de disfarçar os defeitos, acabará por realçá-los. Aliás, tenha isto sempre em conta: se a divisão que pretende pintar apresenta estragos, como fissuras ou rachas, pintar por cima não vai resolver o problema. Pelo contrário, pode até evidenciá-lo. Assim sendo, confira sempre se não precisa de fazer outros trabalhos de reparação.

Assegure-se também que a tinta para o quarto não apresenta um odor forte e que seca rapidamente.

Melhor tipo de tinta para exteriores

Para a pintura de exterior, é essencial que escolha uma tinta adequada às condições climatéricas do local onde vive. Assim sendo, para o exterior o melhor é comprar tintas 100% acrílicas, pois duram mais e resistem bem ao sol e às chuvas. 

Atualmente, existem mesmo tintas criadas especialmente para ambientes exteriores, podendo até optar por tintas reparadoras – como as tintas Elásticas – que permitem recuperar e reparar fendas nas fachadas exteriores.

Este conteúdo é uma reprodução do Habitissimo.“O melhor tipo de tinta para cada divisão da casa”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/o-melhor-tipo-de-tinta-para-cada-divisao-da-casa

Como reformar cozinhas e casas de banho sem obras de fundo

Hoje em dia é possível mudar uma divisão da casa através de revestimentos, pinturas, papel de parede, ou até mobiliário e acessórios de decoração. 

O processo de renovação de uma casa, sendo demorado e sujo, nem sempre é encarado da melhor maneira por grande parte de nós. Mas muitas vezes, na verdade, não são necessárias obras de fundo para dar uma nova identidade a um determinado espaço. Hoje em dia é possível (e mais fácil) mudar uma divisão da casa, seja através de revestimentos, pinturas, papel de parede, ou até mobiliário e acessórios de decoração. 

Existem soluções rápidas, simples, mais económicas e eficazes para se devolver uma nova vida às cozinhas e casas de banho, por exemplo. 

 Sobreposição de revestimentos

Tanto para os pavimentos, como paredes, esta é uma solução bastante viável para os revestimentos já existentes, encontrando-se bastantes materiais de fácil aplicação no mercado. Destacam-se os vinílicos, para pavimentos e paredes, cuja aplicação é realizada em dois dias, sem sujar, e sobre qualquer tipo de pavimento, com exceção da madeira, pois poderá apodrecer e danificar o vinílico.

Podemos ainda optar pela sobreposição de novos revestimentos cerâmicos, se for possível e /ou a aplicação de monomassas como o microcimento, próprio para zonas húmidas e resistente, incluindo para bases de duche.

É importante referir que, para esta solução de sobreposição, é necessária uma verificação do estado das superfícies a sobrepor, pois caso haja presença de infiltrações, deve ser feito tratamento próprio anteriormente. Igualmente importante é o correto nivelamento do novo pavimento, pois poderá interferir com ralos, portas, ou outros elementos, impedindo o seu funcionamento.

Pinturas de superfícies

Igualmente executável de forma rápida e que confere um toque original são as pinturas. Existe uma panóplia de tintas para os mais diversos tipos de superfícies, como azulejos, pisos, madeiras e metais, abrindo portas à criatividade na hora de decidir o ambiente que se pretende criar. Não descurar, ainda assim, do esclarecimento, junto do respetivo fornecedor, relativamente aos cuidados de preparação a seguir, antes da execução da mesma, assim como a tinta a escolher já que se são zonas húmidas que requerem atenção.

Podem ser aplicadas cor lisas, dois tons para criar sombras, ou com desenhos/padrões de forma a tornar o ambiente mais acolhedor e original.

Papel de parede, adesivos e vinil autocolante

Trata-se de soluções de fácil aplicação, limpeza que criam um espetacular impacto visual no espaço. A variedade de padrões e texturas é grande, contudo a imagem poderá ser personalizada, já que grande parte das empresas assim o permitem, tornando-se um grande fomento à criatividade do próprio cliente.

No caso especial do vinil autocolante, destaca-se a sua forte resistência ao calor e às humidades, para além da sua forte utilização para o cobrimento de azulejos existentes, com a disponibilidade de tamanhos, concedida pelas empresas, podendo, ainda assim, serem fabricados à medida.

Para qualquer das anteriores soluções, é obrigatória a respetiva limpeza das superfícies a aplicar, para a correta aderência, com especial atenção aos espaços das cozinhas, devido à acumulação de gordura nas paredes proveniente do cozinhar.

Mobiliário com cor e detalhes

Optando-se por uma solução mais neutra no caso de paredes e pavimentos, o jogo de cor poderá ser utilizado no mobiliário. Caso seja ele novo, ou existente. Escolhendo esta última opção, sempre benéfica do ponto de vista ambiental e criativo, deverá ser realizado a respetiva preparação, pintura e acabamento, ou apenas a substituição das portas adaptadas ao mobiliário existente, conferindo-lhe um novo visual e intemporalidade. Por vezes a simples mudança de puxadores, torneiras, ou a aplicação de autocolantes nas portas dos armários das cozinhas a formar molduras, dá uma nova identidade ao mobiliário e ao espaço.

Peças sanitárias neutras e simples

A escolha certa das peças sanitárias é um ponto importante a ter em conta já que possuem um tempo de vida útil bastante prolongado, não sendo fundamental a substituição constante das mesmas. Como tal, a escolha de modelos neutros, simples e de cores lisas é importante para que seja possível a renovação dos espaços por via de outros elementos, sem que haja a necessidade de investir em novos sanitários e móveis, pois estes tornam-se intemporais se forem bem escolhidos.

Por outro lado, a manutenção das torneiras e tubos deverá ser realizado, evitando possíveis ruturas e substituição desnecessária dos materiais envolvidos.

Personalidade do espaço através da decoração

Os diversos apontamentos decorativos poderão transformar-se igualmente em elementos-chave na obtenção de criatividade e personalidade dos espaços.

A iluminação, a decoração das paredes, como aplicação de pratos nas cozinhas e aplicação de espelhos decorativos e gravuras nas casas de banho, a utilização de plantas que se adequem à atmosfera do espaço, pequenas peças decorativas, têxteis como as toalhas, entre outros, são alguns dos exemplos que farão a diferença na hora de conferir conforto àqueles espaços Sempre que possível, promove-se a reutilização de peças existentes através por exemplo de uma nova pintura, conferindo nova vida e propósito ao objeto que está numa sala perdido e que não tem qualquer impacto nesse ambiente, pode ser diferenciador numa cozinha ou no WC, tais como, um espelho em talha dourada, um quadro ou mesmo um candelabro de cristal.

A diferença está no detalhe e na identidade que pomos bem como no que queremos vivenciar no nosso espaço no dia a dia.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Como reformar cozinhas e casas de banho sem obras de fundo”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/decoracao/espacos/2021/02/11/46249-como-reformar-cozinhas-e-casas-de-banho-sem-obras-de-fundo

Cinco resoluções para se ter a casa perfeita em 2021

Ser previdente e apostar na manutenção contínua podem ser bons aliados para viver melhor dentro do lar e evitar chatices.

Ter um espaço confortável que permita viver melhor dentro da própria casa tornou-se algo determinante na vida das pessoas, desde o confinamento por causa da pandemia da Covid-19. Muitos dias fechados em casa mostraram que é preciso cuidar dela e, principalmente, mantê-la em bom estado, fazendo disto mesmo uma resolução de ano novo.

Para ajudar a ter um 2021 mais ameno, os especialistas em reparações domésticas apresentam uma lista de objetivos a cumprir no lar.

  1. Poupar nas contas de luz e água. A eletricidade, a água e o gás representam um custo doméstico mensal significativo. Para evitar surpresas no final do mês, é aconselhável verificar se não há avaria. Eletrodomésticos que não funcionam em plena capacidade, torneiras com perdas, vazamentos de água em canos ou caldeira em mau estado podem causar uma despesa extra.
  2. Garantir que o aquecimento funciona bem, principalmente quando chega o frio. Com a chegada do inverno e o uso intensivo das caldeiras, caso não tenha sido feita uma boa manutenção ou revisão prévia, é possível que surja um problema no seu funcionamento. A queda de pressão, o entupimento na saída dos fumos ou a avaria da bomba de recirculação do aquecimento, são alguns incidentes que não só reduzem o rendimento no valor calorífico, mas também aumentam o consumo de gás e a fatura mensal. Por isso, deixar a caldeira a ponto é uma operação necessária para passar um inverno tranquilo e confortável em casa.
  3. Aproveitar melhor a luz natural da casa. As poucas horas de sol revelam os espaços interiores que carecem de iluminação, pelo que este ano pode ser uma boa ideia aproveitar ao máximo a casa para tirar partido da luz natural ou colocar novos pontos de luz para tornar a divisão mais confortável. As áreas que foram habilitadas para trabalhar em casa também precisam de uma revisão para garantir que temos a luz adequada e necessária para evitar fadiga visual.
  4. Para quem tem visão de longo prazo, é um bom momento para preparar o ar condicionado. O tempo passa rápido e a chegada do calor não avisa. O melhor é que quando as altas temperaturas surjam, os aparelhos de ar condicionado estejam instalados e prontos. Embora possa parecer loucura, preparar o ar condicionado durante os primeiros meses do ano é uma boa opção, pois os preços desses aparelhos tendem a cair e a disponibilidade de profissionais especializados é maior.
  5. Ter a casa sempre confortável e a nosso gosto. A realização de reformas domiciliares ou pequenos reparos costuma gerar preocupação, não só de custo e tempo, mas também de satisfação com o resultado final. Ir tratando de tudo a pouco e pouco é uma boa solução.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Cinco resoluções para se ter a casa perfeita em 2021″. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2021/01/05/45799-cinco-resolucoes-para-ter-a-tua-casa-perfeita-em-2021

Dicas para decorar o hall de entrada de casa e torná-lo mais acolhedor

A entrada da casa não é unicamente um espaço de passagem, mas um cartão de visita e que permite dar asas à nossa criatividade

Todos os espaços da casa devem merecer a nossa atenção e o hall de entrada tem especial importância. A entrada da casa não é unicamente um espaço de passagem, mas um cartão de visita e que permite dar asas à nossa criatividade. A decoração não é difícil, é preciso prestar atenção a alguns detalhes para que fique um espaço funcional, mas também acolhedor.

A questão principal que se coloca é: o que deve ter um hall de entrada? Deixamos-te algumas dicas de inspiração.

Paredes decoradas

A utilização de pormenores nas paredes ajuda o hall a parecer convidativo. Podemos assim ver como algo muito simples pode fazer a diferença, como por exemplo papel de parede ou parede colorida. A colocação de pequenos apontamentos é muito importante na decoração e permitem tornar o hall num espaço muito próprio e personalizado. Podes fazê-lo com decorações ou caixas de arrumação, que são muito práticas e decorativas.

Utilização de espelhos

A utilização de espelhos serve para criar um efeito visual que amplia o local e tem especial importância num hall de entrada pequeno. Se adicionarmos um pequeno móvel de apoio, torna-se numa opção muito prática e decorativa.

Organização e aproveitamento de espaço

A entrada da casa também pode ser um espaço privilegiado para guardar algumas coisas. Quando temos espaço, um armário é uma boa ideia porque, além de ser útil, é também decorativo e torna-se muito prático na utilização diária. Quando falamos em aproveitar o espaço, nada melhor do que ter ganchos nas paredes. É sempre conveniente fazer das paredes as nossas melhores amigas. Procura várias alternativas de ganchos.

Nunca é conveniente abarrotar os espaços, pelo que seguir a regra de menos é mais parece ser o melhor. Para deixar o seu hall minimalista, aconchegante e bonito devemos escolher alguns móveis que combinem com o ambiente, juntamente com alguns objetos de decoração.

Cores e retoques florais

As cores são muito importantes na decoração do hall, principalmente se quisermos que nos chame a atenção e não seja apenas um local de passagem. Podemos escolher vários tons, tendo a regra básica de que para espaços pequenos devemos utilizar tons mais claros e neutros para ganharmos luminosidade.

O toque verde nunca pode faltar, principalmente no hall. Impregnar a casa de boas vibrações e cores é importante e os retoques florais ajudam a sentir-se confortável, desde que entra em casa. Pode fazer isso com mini vasos sobre uma mesa ou pendurados nas paredes.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Dicas para decorar o hall de entrada de casa e torná-lo mais acolhedor”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/decoracao/espacos/2021/01/08/45827-dicas-para-decorar-o-hall-de-entrada-de-casa-e-torna-lo-mais-acolhedor

Como decorar uma casa para vender (e fechar negócio mais rápido)

Na hora de fazer uma transação, todos os detalhes contam. E a decoração é uma arma que pode dar uma ajuda na venda de um imóvel..

Como decorar uma casa para vender (e fechar negócio mais rápido) é o que te vamos ensinar hoje. Se fizeres um pequeno investimento na casa antes de colocá-la no mercado, poderás obter entre 7 a 15 por cento a mais da venda do imóvel. Quer com isto dizer que, na hora de fechar negócio, todos os detalhes contam. Se queres vender um imóvel, fica atento a estas dicas importantes. 

Começa por destralhar

Antes de começares a decorar, retira todas as coisas que não são necessárias em casa, como móveis mais volumosos e objetos. O objetivo de uma visita de comprador é perceber qual é o potencial da casa e o que pode ou não ser feito nesta. Por isso, adota a técnica do minimalismo e mantém apenas as coisas mais essenciais. A ideia é que os potenciais compradores possam circular à vontade e conseguirem-se imaginar naquele espaço. Retira também todos os objetos pessoais.

Dar atenção à cozinha

Se a sua cozinha já está datada, trocados armários e eletrodomésticos para lhe dar um ar novo e assim valorizar o imóvel. Uma boa cozinha, prática e funcional, valoriza em muito o imóvel e desperta o interesse dos compradores. Se os armários ainda estão em boas condições, podes apenas pintá-los e trocar puxadores, para dar um ar moderno à decoração sem gastar muito. Pias antigas e pouco funcionais também devem ser substituídas, bem como azulejos partidos. Presta atenção à bancada: no caso de ter muitas manchas, o melhor mesmo é trocar.

Uma nova vida à casa de banho

Esta é uma daquelas divisões que acusa bastante o uso com o passar do tempo, e por isso, é importante que seja atualizada. Se o espaço for muito antigo ou datado, moderniza-o, alterando alguns pontos-chave. Troca a sanita e a banheira (ou duche) e cria espaço de arrumação, através de nichos na parede ou apostando em armários mais versáteis. Se os azulejos são mais antiquados, troca-os por modelos mais atuais, e têm o cuidado de branquear as juntas e renovar o silicone onde for necessário.

Aproveitar o sótão

Ao criar uma nova divisão totalmente funcional no sótão da casa, estás a aumentar o valor do imóvel. Podes criar um quarto extra, uma sala de estar, um escritório em casa ou até uma pequena biblioteca no local do sótão. Junta algumas janelas para trazer mais luz à divisão e assim torná-la mais acolhedora. Elementos em madeira também nunca são demais para um espaço confortável. Este será um daqueles elementos diferenciadores em relação a outros imóveis e que te garantirá certamente um maior lucro na venda da casa.

Torna a entrada mais confortável

Um hall de entrada organizado e convidativo pode fazer uma grande diferença na hora de vender a casa. Coloca um bengaleiro na entrada e, se tiveres espaço, um banco onde as pessoas podem descalçar os sapatos. O espaço deve ser prático e permitir a passagem, mas ao mesmo tempo, deve dar o mote à restante casa no que toca à limpeza e decoração. Pensa também na fachada e no exterior da casa, e se necessário, retoca pinturas e maçanetas desgastadas. Completa o conjunto com algumas plantas à entrada e está feito.

Criar um closet

Se tens um pequeno espaço que é menos utilizado, como um quarto de arrumação, converte-o num closet. Desse modo, quem comprar o imóvel vai contar com mais espaço de arrumação para as suas roupas e todo o espaço fica mais bem aproveitado. Um closet com arrumação é algo muito valorizado nos dias de hoje e muitas famílias procuram esse tipo de espaço, pelo que a criação de um irá ajudar na valorização da casa e despertar um maior interesse nos compradores.

Valorizar o exterior da casa

Se a casa conta com áreas exteriores, sejam elas uma varanda ou um jardim, valoriza-as recorrendo à decoração. Algumas cadeiras confortáveis, uma pequena mesa de apoio e muitas plantas vão dar mais vida a qualquer varanda. Um jardim bem cuidado e mantido faz também a diferença na hora de optar ou não por um imóvel, por isso dá atenção ao relvado e às plantas do exterior e garante que tudo está em condições. Um bom paisagismo pode fazer o valor da casa aumentar até 25%, pelo que deverás ter isto em conta.

Pequenos detalhes fazem a diferença

Existem pequenas coisas que podes fazer antes de abrir a tua casa ao público e que podem ajudar-te a vender o imóvel mais depressa e com lucro.

  • Um pavimento novo ajuda a dar uma nova vida a um espaço mais antigo e é sempre um bom investimento.
  • Caixilhos velhos devem ser substituídos por novos, para melhorar a eficiência energética e o isolamento da casa.
  • Uma casa com eletrodomésticos eficientes e até com sistemas de segurança e fechaduras inteligentes são sempre mais atrativas, bem como um portão de garagem automático.
  • Depois, a limpeza e decoração do espaço deve estar sempre excelente. Limpa as tomadas e maçanetas, esconde os pequenos defeitos que existirem, e não te esqueças de limpar os vidros.
  • A decoração deve ser preferencialmente em tons neutros, para dar mais luz à casa e deixar que a imaginação dos interessados fazer o resto.
  • Por último, um cheiro agradável em toda a casa faz toda a diferença e cria ambiente.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“Como decorar uma casa para vender (e fechar negócio mais rápido)”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2020/12/29/45750-como-decorar-uma-casa-para-vender

As grandes tendências de decoração para 2021

Os tons usados querem-se mais suaves, para transmitir leveza ao ambiente e torná-lo mais acolhedor. E a sustentabilidade também terá uma palavra a dizer.

O novo ano chegou e com ele chegaram as novas tendências da decoração. Desde as cores às plantas, passando pela sustentabilidade e pela dica do menos é mais que nunca sai de moda, deixamos-te algumas ideias daquilo que será mais usado neste novo ano, para que te inspire e comece a planear a próxima renovação da casa já hoje. 

As cores para 2021

Este ano vai ser rico em cores mais suaves e alegres, como os tons pastel e as cores mais quentes, como o amarelo e o laranja. Os tons usados querem-se suaves, para transmitir leveza ao ambiente e torná-lo mais acolhedor. O verde e o azul também estão em alta, já que ajudam a transmitir calma e serenidade a qualquer espaço, especialmente se for usado em quartos. Todas estas cores são versáteis e podem ser facilmente combinadas com uma base neutra, em branco ou até cinzento. O bege e o terracota também funcionam muito bem como base para muitas destas cores, pelo que podem ser usadas na decoração de ambientes sem problema.

Aposta na sustentabilidade

A sustentabilidade no lar tem estado cada vez mais em voga, a cada ano que passa, mas 2021 vai ser certamente um ano em que essa aposta será ainda mais visível. As novas tendências de decoração apostam muito no uso de materiais intemporais e provenientes de fontes sustentáveis, ou dão uma nova vida a móveis e peças decorativas em segunda mão através da magia do DIY. A sustentabilidade passa também pela adoção de sistemas inteligentes para a casa, que permitem poupar na energia e no aquecimento e tornam o lar ainda mais confortável, sem precisar de gastar demasiados recursos para o conseguir.

Menos ainda é mais

O minimalismo ainda vai continuar na moda, aliado à tendência da sustentabilidade. Ambientes clean e sem a circulação restringida ficam sempre bem em qualquer casa e vão continuar a fazer capas de revista durante este ano. Quebra um pouco a monotonia com uma ou outra peça mais personalizada (como um móvel em segunda mão ou uma recordação de uma viagem que fizeste). Assim, terás na mesma um espaço minimalista, mas que demonstra a sua personalidade e memórias. Traz também conforto ao espaço usando uma cor como o amarelo pastel ou o azul bebé, para dar energia ao espaço sem pesar demasiado visualmente.

Plantas e mais plantas

As plantas sempre foram as queridinhas da decoração, mas a tendência é que se usem cada vez mais na composição dos espaços e que sejam uma parte integrante da decoração de uma casa. Qualquer tipo de planta pode ser usada para tornar um local mais acolhedor, mas se não tens grande experiência com jardinagem, o melhor é começares por espécies que sejam fáceis de manter e que não precisem de tantos cuidados, como catos e suculentas. Quando te sentires mais confortável, podes passar para outras plantas e criar assim um autêntico jardim tropical dentro de casa.

Cuidar do jardim

Em linha com a tendência anterior, o cuidado do jardim também volta a ser tendência em 2021. Um jardim malcuidado e planeado é coisa do passado, e por isso, a tendência será apostar nas áreas exteriores da casa e fazê-las brilhar, com ou sem ajuda profissional. Pensa bem no espaço que tens e planeia diversos locais para relaxamento, usando coisas como uma pérgola ou uma cadeira de baloiço. Delimita o espaço para canteiros e árvores, pensa nas melhores espécies para o local, e cria assim um clima mais recatado e onde possas estar a apreciar o ar livre tranquilamente e sem interrupções.

Deixe entrar a luz natural

A luz natural sempre foi um ponto importante na decoração de interiores, mas com o período de confinamento, a necessidade de deixar entrar a luz do sol para as nossas casas tornou-se um foco ainda maior. Assim, a tendência é que as novas construções tenham janelas e portas de vidro amplas, podendo até integrar as varandas no interior da casa para ganhar mais espaço. As cortinas deverão ser de tecidos leves ou, para quem gosta do estilo nórdico, porque não dispensar a presença das cortinas? No sótão, a instalação de claraboias é um must, para potencializar este espaço e trazer-lhe mais vida. Ao apostar na iluminação natural, está também a ser sustentável, já que isso lhe permitirá poupar na conta da luz. Um universo de vantagens só por deixar a luz entrar.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News.“As grandes tendências de decoração para 2021″. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/decoracao/espacos/2020/12/29/45747-as-grandes-tendencias-de-decoracao-para-2021

Conheça a influência das cores na decoração de um ambiente

Será que existe mesmo uma influência das cores na decoração de um espaço? A resposta é sim, e nós vamos dizer-lhe como usá-las a seu favor!

Apesar de nem sempre a perceção ser imediata ou até mesmo consciente, a verdade é que existe uma real influência das cores na decoração de qualquer espaço. E não é difícil perceber essa influência. Quando acorda e lá fora está um belo dia de sol certamente que o seu estado de espírito vai ser mais positivo do que quando se levanta e está um dia escuro, chuvoso, frio e com vento.

As cores têm um grande poder de impacto psicológico sobre o ser humano. Seja na roupa que vestimos, na comida que nos apresentam ou na decoração à nossa volta. Neste artigo, vamos dar-lhe a conhecer as principais conotações e influências das principais cores para que saiba utilizá-las a seu favor na hora de decorar a sua casa. Preparado?

Saiba como usar a influência das cores na decoração a seu favor

Para saber usar de forma positiva a influência das cores na decoração de um ambiente, é preciso perceber o significado genérico de cada cor. Fique atento.

1. Amarelo

Considerada uma cor quente, o amarelo associa-se ao calor, à estimulação, iluminação e ânimo. É uma cor associada ao poder e ao otimismo. O amarelo é por isso uma cor ideal para áreas de alimentação, como cozinhas e salas de jantar, uma vez que estimula o apetite.

Além disso, pode também ser utilizada em áreas de estudo e escritórios uma vez que ajuda a estimular as atividades intelectuais e a criatividade. Esta cor deve, no entanto, ser bem doseada, uma vez que tem um elevado grau de luminosidade e pode acabar por causar algum desconforto visual.

2. Laranja

O laranja entra também no ramo das cores quentes, mas num grau ainda mais elevado do que o amarelo. Enquanto representação da energia, do calor e fogo, tem uma influência nas pessoas estimulando a vitalidade, o dinamismo e a boa disposição.

Por tudo isto, em termos de influência das cores na decoração, o laranja é excelente para locais de trabalho e de estudo.

3. Vermelho

Esta é a cor do fogo e do sangue por excelência e é ainda a mais importante para muitos povos pela sua ligação ao princípio da vida. Cor quente, é associada a momentos vibrantes, excitantes e animados, e traz, por isso, confiança, força de vontade e agilidade.

Dado todo o seu dinamismo e força, o vermelho deve ser utilizado com cautela e apenas em pormenores como pisos, tapetes, uma peça de decoração ou de mobiliário ou outro têxtil.

4. Azul

Entramos agora na onda das cores frias e começamos com o azul. Sinónimo de serenidade e paz, esta cor provoca a sensação de frio, mas também de repouso e relaxamento.

Em termos de influência das cores na decoração, dizem as boas práticas que esta cor deve ser usada em divisões onde procure a tranquilidade, como o seu quarto ou das crianças. Mas deve ter cuidado com o tom de azul, uma vez que os tons demasiado escuros podem ter o efeito um pouco depressivo.

5. Violeta

Ao contrário do que possa pensar, violeta ainda é considerada uma cor fria e está associada à estimulação do lado psíquico e espiritual, à lucidez e ao equilíbrio nas atitudes. Além disso, está também muito associada à questão à sensação de saudosismo.

Utilize o violeta em ambientes que pretenda que sejam mais tranquilos, mais virados até para atividades espirituais ou de meditação, como por exemplo um cantinho no seu quarto.

6. Verde

O verde é a cor que está no meio da balança entre o que é considerado claro e escuro, quente e frio. Reservada e repousante, a cor é sinónimo de bem-estar, saúde, esperança, segurança, equilíbrio, juventude e tranquilidade.

Em termos de influência das cores na decoração, o verde é bastante versátil uma vez que consegue passar uma sensação de conforto e aconchego e, no seu tom claro, torna-se uma cor tranquilizante, aconselhando-se a sua utilização em quartos, salas de estar e escritórios e, no seu tom mais escuro, transmite a sensação de seriedade e segurança e é por isso ideal para quartos.

7. Castanho

O castanho é uma escolha excelente para aplicar em espaços que exijam concentração, como escritórios. Como transmite a sensação de sobriedade e acolhimento, é excelente para aplicar em salas de estar e jantar.

O castanho é uma escolha excelente para aplicar em espaços que exijam concentração, como escritórios. Como transmite a sensação de sobriedade e acolhimento, é excelente para aplicar em salas de estar e jantar.

8. Branco

Sabia que tecnicamente o branco é a soma de todas as cores? Símbolo da paz, pureza, limpeza, estabilidade, luminosidade e simplicidade, pode ser utilizada em qualquer espaço, desde que combinada com outras para equilibrar a sua intensidade e luz.

9. Preto

Em oposição, o preto não é considerado uma cor tecnicamente, mas sim a ausência de luz. Considerada uma cor sofisticada, pode ser utilizada em qualquer divisória, desde que em pequenos apontamentos e detalhes, para não “pesar” ou tornar o ambiente demasiado sombrio.

Não se esqueça: a influência das cores na decoração de um ambiente é muito importante e pode até não perceber, mas o seu mood vai ser alterado de acordo com a paleta cromática que desenhar para cada divisória!

Este conteúdo é uma reprodução do E-Konomista.“Conheça a influência das cores na decoração de um ambiente”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/influencia-cores-decoracao/

Aquecimento central: qual a melhor opção?

O aquecimento central é uma das formas mais comuns para os portugueses aquecerem as suas casas. Conheça este sistema mais a fundo!

O que é o aquecimento central e para que serve? Quais as suas principais vantagens e desvantagens? É económico ou, por outro lado, bastante dispendioso? Tudo o que precisa saber está disponível neste artigo, que preparamos especialmente para si.

Antes de mais, vamos perceber o que é exatamente isto do aquecimento central: resumidamente, consiste num sistema que permite aumentar a temperatura ambiente e baixar a humidade relativa do ar no interior de um espaço fechado, criando condições confortáveis ao utilizador em situações de baixas temperaturas exteriores.

O aquecimento central fornece calor a todo o espaço interior, partindo de um ponto e espalhando-se por todas as divisões. A grande diferença é que o aquecimento central gera calor a partir de um ponto único, como uma caldeira, esquentador ou termoacumulador. O calor é depois distribuído pelos diferentes espaços através de tubagem própria, circulação de água por canos ou por vapor canalizado.

Em termos de temperatura, o ideal será que mantenha o ambiente interior na ordem dos 20º C. Nem muito mais quente nem muito mais frio. Esta temperatura, além do conforto que proporciona, ajuda a diminuir a desagradável sensação de humidade e evita a formação de humidade e bolores.

Aquecimento central: Prós e contras

Sabendo melhor como funciona o sistema de aquecimento central, será que é uma solução viável para a sua casa? Para isso, nada melhor do que analisar prós e contras.

Principais vantagens do aquecimento central

Ter aquecimento numa casa é uma situação bastante vantajosa por vários motivos, incluindo motivos de saúde e de segurança. Além da principal vantagem de tornar os ambientes mais quentes e agradáveis, este sistema ajuda a mitigar a formação de humidade e de mofo que acaba por afetar a saúde dos seus moradores, sobretudo aqueles com mais sensibilidade a problemas respiratórios e alérgicos.

Além disso, a pressão sanguínea e o ritmo cardíaco podem também ser alterados quando estamos sob temperaturas muito frias, pelo que o sistema se torna outra vantagem neste sentido.

Finalmente, importante referir também que, com um ambiente temperado e livre de bolores, as noites de sono são também mais relaxadas e tranquilas.

Principais desvantagens do aquecimento central

A grande desvantagem associada aos sistemas do aquecimento central é mesmo a sua instalação, caso a casa ainda não o possua, uma vez que é um sistema ainda um pouco complexo e que necessita de algum investimento.

Além disso, e mediante o tipo de sistema de aquecimento escolhido, pode ser necessária uma maior ou menor manutenção e o custo da energia pode também ser mais ou menos elevada.

Tipos de soluções de aquecimento central

Os sistemas de aquecimento mais populares são essencialmente seis: caldeiras, salamandras a pellets, ar condicionado, painéis solares e, finalmente, lareiras com recuperador de calor. Vamos conhecê-los um pouco melhor.

Caldeiras

Estes equipamentos consistem em grandes recipientes metálicos para aquecimento da água que é depois distribuída através de uma rede de tubos que termina em radiadores, pisos radiantes ou toalheiros.

Existem os seguintes tipos de caldeira: convencionais ou de condensação (que funcionam a gás e adequadas a um uso doméstico normal) e caldeiras de chão/murais a gás ou a gasóleo (mais potentes e maiores do que as anteriores, dando uma resposta mais eficaz às necessidades térmicas).

Este tipo de aquecimento pode ainda ser usado na produção de águas quentes sanitárias. As caldeiras são duráveis, requerem pouca manutenção e possuem um sistema de combustão seguro.

Radiadores

No caso do sistema de aquecimento central com radiadores, a troca de calor entre o ar atmosférico e outro líquido ou vapor é realizado num sistema fechado. É um sistema bastante procurado pela grande oferta no mercado e pelos preços atrativos.

Os radiadores conseguem aquecer os espaços de forma homogénea e são feitos de metal para conduzirem bem o calor. Depois existem ainda os radiadores a vapor, mais antigos e ligados a uma caldeira que aquece a água que, por sua vez, forma vapor. Finalmente, os radiadores a água funcionam de uma forma semelhante, mas sem pressão causada pelo vapor e sem que água ferva.

​Salamandras a pellets

Muito provavelmente já viu no supermercado este produto à venda – pellets de madeira. Afinal o que é isto? Os pellets são biocombustíveis compostos por biomassa vegetal, em formato de pequenos cilindros que são uma fonte de energia renovável e menos poluente.

No entanto, antes de adquirir uma salamandra a pellets, tenha em conta a área que procura aquecer – quanto maior for o depósito interno de pellets da salamandra, maior a autonomia da mesma.

​Painéis solares

Os painéis solares têm o poder de converter a energia solar em electricidade. Extremamente eficientes, eles são normalmente instalados na parte superior das casas para captarem de forma mais eficaz a energia solar.

Apesar do esforço financeiro inicial ser bastante representativo, a médio / longo prazo é um investimento que compensa.

Ar condicionado

O ar condicionado é o sistema de aquecimento central mais versátil, uma vez que permite uma utilização todo o ano – quente no inverno e frio no verão. A sua instalação não é muito barata, mas o consumo energético é bastante baixo e acaba por compensar.

No entanto, ao utilizar o ar condicionado deve ter muito cuidado e ser rigoroso com a sua revisão e manutenção, para evitar o surgimento de fungos ou bactérias.

​Recuperadores de calor

Se em sua casa tem a tradicional lareira a lenha, verifique se não tem também um recuperador de calor. Estes equipamentos otimizam a queima a lenha e podem, também, aquecer a água de forma eficaz.

Para isso, necessita de instalar um circuito de aquecimento central que funcione por via de radiadores ou por piso radiante.

Qual o melhor aquecimento central para mim?

Antes de optar por um sistema, considere várias condicionantes – área da casa, necessidades energéticas, orçamento disponível, tipo de casa (alugada ou comprada), eficiência energética da mesma e, com base nisso e na informação sobre cada um dos tipos de aquecimento central, escolha a mais indicada para a sua situação.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Knomista.“Aquecimento central: qual a melhor opção?”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/aquecimento-central/