Aquecimento central: qual a melhor opção?

O aquecimento central é uma das formas mais comuns para os portugueses aquecerem as suas casas. Conheça este sistema mais a fundo!

O que é o aquecimento central e para que serve? Quais as suas principais vantagens e desvantagens? É económico ou, por outro lado, bastante dispendioso? Tudo o que precisa saber está disponível neste artigo, que preparamos especialmente para si.

Antes de mais, vamos perceber o que é exatamente isto do aquecimento central: resumidamente, consiste num sistema que permite aumentar a temperatura ambiente e baixar a humidade relativa do ar no interior de um espaço fechado, criando condições confortáveis ao utilizador em situações de baixas temperaturas exteriores.

O aquecimento central fornece calor a todo o espaço interior, partindo de um ponto e espalhando-se por todas as divisões. A grande diferença é que o aquecimento central gera calor a partir de um ponto único, como uma caldeira, esquentador ou termoacumulador. O calor é depois distribuído pelos diferentes espaços através de tubagem própria, circulação de água por canos ou por vapor canalizado.

Em termos de temperatura, o ideal será que mantenha o ambiente interior na ordem dos 20º C. Nem muito mais quente nem muito mais frio. Esta temperatura, além do conforto que proporciona, ajuda a diminuir a desagradável sensação de humidade e evita a formação de humidade e bolores.

Aquecimento central: Prós e contras

Sabendo melhor como funciona o sistema de aquecimento central, será que é uma solução viável para a sua casa? Para isso, nada melhor do que analisar prós e contras.

Principais vantagens do aquecimento central

Ter aquecimento numa casa é uma situação bastante vantajosa por vários motivos, incluindo motivos de saúde e de segurança. Além da principal vantagem de tornar os ambientes mais quentes e agradáveis, este sistema ajuda a mitigar a formação de humidade e de mofo que acaba por afetar a saúde dos seus moradores, sobretudo aqueles com mais sensibilidade a problemas respiratórios e alérgicos.

Além disso, a pressão sanguínea e o ritmo cardíaco podem também ser alterados quando estamos sob temperaturas muito frias, pelo que o sistema se torna outra vantagem neste sentido.

Finalmente, importante referir também que, com um ambiente temperado e livre de bolores, as noites de sono são também mais relaxadas e tranquilas.

Principais desvantagens do aquecimento central

A grande desvantagem associada aos sistemas do aquecimento central é mesmo a sua instalação, caso a casa ainda não o possua, uma vez que é um sistema ainda um pouco complexo e que necessita de algum investimento.

Além disso, e mediante o tipo de sistema de aquecimento escolhido, pode ser necessária uma maior ou menor manutenção e o custo da energia pode também ser mais ou menos elevada.

Tipos de soluções de aquecimento central

Os sistemas de aquecimento mais populares são essencialmente seis: caldeiras, salamandras a pellets, ar condicionado, painéis solares e, finalmente, lareiras com recuperador de calor. Vamos conhecê-los um pouco melhor.

Caldeiras

Estes equipamentos consistem em grandes recipientes metálicos para aquecimento da água que é depois distribuída através de uma rede de tubos que termina em radiadores, pisos radiantes ou toalheiros.

Existem os seguintes tipos de caldeira: convencionais ou de condensação (que funcionam a gás e adequadas a um uso doméstico normal) e caldeiras de chão/murais a gás ou a gasóleo (mais potentes e maiores do que as anteriores, dando uma resposta mais eficaz às necessidades térmicas).

Este tipo de aquecimento pode ainda ser usado na produção de águas quentes sanitárias. As caldeiras são duráveis, requerem pouca manutenção e possuem um sistema de combustão seguro.

Radiadores

No caso do sistema de aquecimento central com radiadores, a troca de calor entre o ar atmosférico e outro líquido ou vapor é realizado num sistema fechado. É um sistema bastante procurado pela grande oferta no mercado e pelos preços atrativos.

Os radiadores conseguem aquecer os espaços de forma homogénea e são feitos de metal para conduzirem bem o calor. Depois existem ainda os radiadores a vapor, mais antigos e ligados a uma caldeira que aquece a água que, por sua vez, forma vapor. Finalmente, os radiadores a água funcionam de uma forma semelhante, mas sem pressão causada pelo vapor e sem que água ferva.

​Salamandras a pellets

Muito provavelmente já viu no supermercado este produto à venda – pellets de madeira. Afinal o que é isto? Os pellets são biocombustíveis compostos por biomassa vegetal, em formato de pequenos cilindros que são uma fonte de energia renovável e menos poluente.

No entanto, antes de adquirir uma salamandra a pellets, tenha em conta a área que procura aquecer – quanto maior for o depósito interno de pellets da salamandra, maior a autonomia da mesma.

​Painéis solares

Os painéis solares têm o poder de converter a energia solar em electricidade. Extremamente eficientes, eles são normalmente instalados na parte superior das casas para captarem de forma mais eficaz a energia solar.

Apesar do esforço financeiro inicial ser bastante representativo, a médio / longo prazo é um investimento que compensa.

Ar condicionado

O ar condicionado é o sistema de aquecimento central mais versátil, uma vez que permite uma utilização todo o ano – quente no inverno e frio no verão. A sua instalação não é muito barata, mas o consumo energético é bastante baixo e acaba por compensar.

No entanto, ao utilizar o ar condicionado deve ter muito cuidado e ser rigoroso com a sua revisão e manutenção, para evitar o surgimento de fungos ou bactérias.

​Recuperadores de calor

Se em sua casa tem a tradicional lareira a lenha, verifique se não tem também um recuperador de calor. Estes equipamentos otimizam a queima a lenha e podem, também, aquecer a água de forma eficaz.

Para isso, necessita de instalar um circuito de aquecimento central que funcione por via de radiadores ou por piso radiante.

Qual o melhor aquecimento central para mim?

Antes de optar por um sistema, considere várias condicionantes – área da casa, necessidades energéticas, orçamento disponível, tipo de casa (alugada ou comprada), eficiência energética da mesma e, com base nisso e na informação sobre cada um dos tipos de aquecimento central, escolha a mais indicada para a sua situação.

Este conteúdo é uma reprodução do E-Knomista.“Aquecimento central: qual a melhor opção?”. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.e-konomista.pt/aquecimento-central/


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code