Afinal, há sobrevalorização dos preços das casas em Portugal?

O mercado imobiliário continua “animado” na zona euro, com os preços das casas a disparar na última década. Na maioria dos países os valores já ultrapassam os níveis de 2008, ano que marcou o início da maior crise económico-financeira dos últimos tempos. De acordo com dados do Eurostat, do Banco Central Europeu (BCE) e do BIS – Bank for International Settlements, compilados pelo Banco de Espanha, o preço das casas no primeiro trimestre do ano superou os valores de 2008 em 12 países da zona euro. Portugal é um deles: os preços cresceram cerca de 30%.

Os casos mais espetaculares são os da Áustria e Luxemburgo, onde o preço da habitação acumula uma recuperação de quase 80% e 60%, respetivamente. Importantes são também os aumentos na Alemanha e na Estónia, a registarem subidas de 40%. Em Portugal e na Bélgica, os preços recuperaram cerca de 30%, enquanto Malta e Finlândia assinalaram aumentos de mais de 20%. Na Letónia e na França, o aumento foi de cerca de 10%.

Já a Holanda e Lituânia lideram os aumentos mais moderados, em torno dos 5%. A Espanha, por enquanto, é um dos países em que o preço das casas permanece abaixo dos níveis pré-crise. De acordo com o estudo, os preços cresceram apoiados na melhoria da atividade económica e condições de trabalho, bem como na política de taxas de juro historicamente baixas.

Se voltarmos à lista, percebemos que na Eslováquia e na Eslovénia os preços das casas permaneceram alinhados com os níveis de 2008, existindo ainda cinco países com saldo negativo: a Irlanda (com quedas próximas a 5%), Espanha (cuja queda é superior a 15%), Itália (que fica perto de 20%), Chipre (com -30%) e Grécia (onde o preço da habitação caiu 40% desde 2008).

De acordo com o Banco de Espanha, “o preço da habitação em alguns países mostra sinais de sobrevalorização em relação aos seus níveis de equilíbrio”. Uma “tese” já confirmada pelo vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, que veio deixar claro que o organismo está atento à sobrevalorização em alguns países – os alarmes soaram sobretudo no setor residencial, embora também haja riscos associados a outros, como o comercial.

Para o supervisor espanhol, “existem várias razões que aconselham que a dinâmica do mercado imobiliário seja monitorizada de perto pelos responsáveis ​​pelas políticas económicas. Por um lado, o setor tem grande relevância para o progresso da economia e a sua evolução pode criar riscos para o setor financeiro. Por outro lado, a trajetória de preços e as condições de acesso à habitação podem ter implicações sociais relevantes”.

Este conteúdo é uma reprodução do Idealista News “Afinal, há sobrevalorização dos preços das casas em Portugal?. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2019/09/18/40893-preco-das-casas-supera-niveis-de-2008-em-12-paises-da-zona-euro-portugal-esta-na


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code