10 coisas que aprendi sobre a minha casa depois dos 35

Quando consegui a minha independência, tinha medo de cometer um monte de erros na hora de remodelar e decorar a minha casa. No entanto, com o tempo aprendi que algumas das decisões foram acertadas e que outras nem tanto. Mas, o que importa? Na decoração tudo tem solução e o mais importante que aprendi quando fiz 35 anos é que as casas devem evoluir, tal como as relações e as famílias, e que não há más decisões, apenas decisões marcadas por um determinado momento. Por isso, hoje trago-vos 10 coisas que aprendi sobre a minha casa depois dos 35, e juro que cada uma delas está certa.

As paredes são de todos…

A partir dos 35 aprendi que as paredes não são apenas minhas, e que não as posso encher apenas com os meus quadros preferidos. Também tenho que deixar espaço para os mais novos, e eles que as decorem com desenhos, recordações e um ou outro rabisco. No final de contas, a combinação não fica assim tão mal, não é verdade?

…e a sala de estar é deles.

Quando vive em casal, qualquer casa lhe parece maravilhosa e grande, mas quando chegam as crianças, acontece o contrário: há falta de espaço por todos os lados. Por isso, aprendi que quando existem crianças em casa, a sala de estar é deles, já que precisam de espaço para brincar com todos os seus brinquedos e criar novos mundos. Por isso, a sala deve acompanhar a evolução da família. Os móveis simples e com grande capacidade de armazenagem são uma excelente opção nestes casos.

Não preciso de uma divisão inteira para um escritório

Quando vive só, fica com a ideia de que precisa de uma divisão apenas para trabalhar a partir de casa, mas à medida que os anos passam vai dar-se conta de que não é bem assim! Agora, conformo-me com ter um espaço em casa, nem que seja um cantinho no quarto, na sala ou no corredor, se houver espaço, para trabalhar. No final, uma mesa pequena e um portátil cabem em qualquer sítio e não é preciso uma divisão inteira só para eles.

Uma casa de banho para dois é melhor

Adaptar-se ao que a vida lhe reserva é fundamental na hora de enfrentar o dia-a-dia, sendo que também é importante adaptar a casa à nossa situação. Por isso, na casa de banho aprendi que, se devemos partilhar o espaço, o melhor é que cada membro do casal tenha o seu próprio lavatório, com gavetas privadas e prateleiras para armazenagem. Assim, acabarão as discussões quando não encontra o secador ou o seu perfume preferido.

Fechar a varanda é fundamental

Por isso, não é má ideia fechar a varanda de forma adequada, para que possa desfrutar dela 365 dias por ano, ou pelo menos adaptá-la para o efeito. Se não o fizer de forma adequada, este espaço pode-se tornar num pesadelo, tornando-se o lugar onde armazenamos bicicletas e aquelas coisas que nos incomodam em casa. Assim, aprendi que não devo menosprezar a varanda e que devo tirar o máximo partido dela.

Posso mudar o chão quando quiser

Quando tive a minha primeira casa sozinha, não parava de ouvir que escolhi um bom piso, porque eles são para toda a vida. Pois bem, com o tempo e a minha experiência, pude perceber que não estou obrigada a ter sempre o mesmo solo: talvez antes me conviesse ter parquet, mas agora, com filhos em casa, optaria por um estrado de grande durabilidade. Assim, se tomou uma má decisão no passado em relação ao piso, esteja tranquilo, porque pode mudá-lo sem problemas.

É acertado decorar o quarto com tons pastel

Ainda que nem toda a gente pense o mesmo, por mais cores que coloque no quarto, as que nunca falham para mim são as cores pastel. Já decorei com roxo, branco sujo, bege…mas no final, as cores que mais convidam ao descanso são as cores pastel, devendo para isso combinar esta gama cromática em paredes, piso e têxteis, para ter um quarto mais relaxante e bonito.

Investir num bom sofá é uma excelente decisão

Porque quando temos um sofá grande e cómodo, será muito mais agradável receber os amigos em casa, e eles não se quererão ir embora, por se sentirem bem. Por isso, se pudesse voltar atrás no tempo, não teria dúvidas e voltaria a comprar um bom sofá com chaise longue para poder estar com os amigos e a minha família.

Um hall de entrada vale mais que mil palavras

Por pouco espaço que pensa que tem, saiba que bastam poucos móveis para conseguir um hall de entrada. Escolha um pequeno banco e um bengaleiro, onde possa deixar o seu casaco, os sapatos e a carteira assim que chegar a casa. Esta é uma das coisas que mais valorizei com o tempo: o facto de todos podermos ter um hall de entrada onde possamos aliviar a nossa chegada a casa.

Uma cozinha boa é para toda a vida

Neste ponto não há dúvida: uma boa distribuição e um bom projeto podem mudar a divisão-chave da casa. Uma cozinha onde possa cozinhar comodamente e na qual possa conversar ou vigiar os miúdos enquanto fazem os trabalhos de casa é fundamental. Para mim, uma cozinha deve ser multidisciplinar e satisfazer as necessidades de todos os membros da família. Por isso, a maioria do orçamento de uma remodelação deve ir para este espaço, para que tudo seja mais cómodo e funcional.

Este conteúdo é uma reprodução do Habitíssimo.“10 coisas que aprendi sobre a minha casa depois dos 35″. Pode visualizar o artigo na sua integra através do seguinte link: https://projetos.habitissimo.pt/projeto/10-coisas-que-aprendi-sobre-a-minha-casa-depois-dos-35


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code